O saldo acumulado da balança comercial brasileira no ano, até ontem, chegou a US$ 8,66 bilhões, segundo informações divulgadas pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

As exportações no período foram de US$ 27,612 bilhões, com média diária de US$ 317,4 milhões (23,9% a mais do que em maio de 2003). Já as importações chegaram a US$ 18,952 bilhões, com média diária de US$ 217,8 milhões (crescimento de 15,5 % na mesma comparação).

Na primeira semana de abril (entre os dias 1 e 9), a balança comercial registrou saldo de US$ 534 milhões, com vendas de US$ 1,574 bilhão e compras de US$ 1,04 bilhão. A média por dia útil nas exportações ficou em US$ 329,5 milhões e nas importações US$ 231,6 milhões. Houve um crescimento de 3,7% nas vendas, na média por dia útil, e de 13,3% na compra, em comparação a maio de 2003. Na comparação com abril deste ano, no entanto, a média por dia útil caiu 4,5% nas exportações e 10,2% nas importações. Técnicos do governo creditam esse resultado à greve dos auditores-fiscais, com represamento de mercadorias nas aduanas.

Esse contratempo, porém, não tem alterado o humor do mercado financeiro quando se fala em balança comercial brasileira. Pela terceira semana consecutiva, pesquisa do Banco Central (relatório Focus) revela que investidores e analistas mantiveram a projeção para a balança comercial de 2004, em US$ 25 bilhões.

Com esse resultado, a expectativa do mercado financeiro aponta para um saldo em conta corrente de US$ 2 bilhões, o que compensaria a queda nos investimentos estrangeiros diretos, que nas ultimas projeções caíram para US$ 12,35 bilhões.