Na foto, um Mercury Station Wagon.

No fim da década de 40, nos Estados Unidos, surgiram os carros que tinham a carroceria feita de aço e madeira. Inspirados nos veículos do início do século XX, que serviam de transporte para levar os passageiros das estações de trem até os hotéis instalados na região central, tornaram-se uma forte tendência da indústria automobilística norte-americana até meados dos anos 50.

Durante a 71.ª edição do Salão de Genebra (na Suíça), foram exibidos em uma área especial alguns desses modelos que fizeram mais sucesso. Foram fabricados em várias versões, não apenas pelas três mais importantes marcas de carros norte-americanos (Ford, GM e Chrysler), mas também por fabricantes que fizeram sucesso no passado, com a Kaiser e a Nash.

Entre os modelos mais interessantes estão os conversíveis Ford Sportmen e Chrysler Town & Country, além das peruas Mercury Station Wagon e De Soto Station Wagon. Havia também os cupês Chevrolet Fleetline e o Nash Ambassador, que contavam com as portas e a tampa do porta-malas feitos de madeira.

Apelidados de “woodies” nos Estados Unidos (referente a madeira em inglês), eles duraram pouco tempo por causa da busca pela redução do custo de produção. Para efeito de comparação, o preço médio de uma porta de madeira na época era de US$ 300, valor que caía para US$ 75 se o mesmo componente fosse feito de aço. A manutenção também ficava mais cara, assim como o preço de um reparo em caso de acidente.

Desvalorizados, os modelos usados acabaram sendo muito procurados por surfistas adolescentes norte-americanos durante os anos 60. Nessa época era comum se encontrar um desses carros com pranchas sendo levadas na capota.

De repente, voltaram a estar em evidência, graças ao trabalho paciente de restauração de alguns fãs desse tipo de carro (que não medem esforços para deixá-los exatamente como novos) e ao sucesso da banda Beach Boys, da qual se tornaram um dos principais símbolos. Hoje, os raros exemplares chamam a atenção por onde passam, geralmente a caminho das mais importantes exposições de carros antigos, como a que foi montada em Genebra.