Fotos: Anderson Tozato

Lançado em setembro deste ano no mercado brasileiro, o Polo Hatch chegou com novo estilo, passando a seguir as diretrizes da marca na Europa. E foi uma das atrações do estande da VW no Salão do Automóvel, entre os dias 19 e 29 de outubro, em São Paulo (SP).

A aparência do modelo, que continua disponível nas versões Hatch e Sedã – esta inexistente na Europa -, melhorou. Perdeu os belos faróis com conjunto duplo, mas ganhou uma atraente grade do radiador. Ela tem formato trapezoidal, e as linhas de seu contorno seguem até o pára-choque, fazendo um desenho em V. Os faróis, embora mantenham estrutura redonda, perderam o conjunto duplo. De qualquer maneira, o novo desenho deixou a parte da frente do carro mais contemporânea.

Foto: Anderson TozatoNa traseira do "hatch", o vidro vigia também termina sutilmente em V, dando ao veículo aspecto dinâmico. As lanternas redesenhadas ganharam um elemento circular no centro. Este detalhe, embora marcante, parece um pouco grande para as dimensões do "hatch". Na versão Sportline avaliada pelo Jornal do Automóvel, o carro contava com bancos esportivos, retrovisores e maçanetas na cor do carro, alarme com controle remoto das portas na chave, coluna de direção regulável em altura e profundidade.

Computador de bordo, faróis de neblina dianteiros e traseiro, pára-brisa degradê, vidros elétricos com acionamento contínuo e limitador de força (que deveria ser de série em todos os carros com vidros elétricos, para evitar acidentes com crianças), pára-sóis biarticulados e porta-malas com iluminação, porta-copos e indicador do nível de água do limpador de pára-brisa complementam o interior do Polo Hatch Sportline.

Foto: Anderson TozatoO Polo Hatch Sportline acompanha o estilo dos importados da marca, como o Passat, o Touareg e o Jetta, automóveis que gozam de excelente reputação entre seus proprietários e que são objeto de desejo de muitos consumidores. Agora o modelo vem também com sensor de estacionamento. Outro destaque fica por conta do "Tilt Down", que inclina o retrovisor direito em manobras de estacionamento a fim de não raspar as rodas, sensor de chuva, ar-condicionado digital e toca-CD com MP3.

E os cintos de segurança dianteiros também têm regulagem, acabando com a desculpa dos engraçadinhos que se recusam a usar o cinto porque ele os "enforca". No Polo, isso vira "cascata" da grossa, uma vez que esse item de segurança preenche perfeitamente as necessidades dos usuários. (BN)

OLHO CLÍNICO

Foto: Anderson TozatoDurante a avaliação, sentimos no Polo Hatch Sportline que os itens a mais em relação à versão "básica" tornam sua condução muito mais agradável. O ajuste da coluna de direção em altura e distância, por exemplo, permite que motoristas de todas as alturas encontrem sempre a melhor posição de dirigir. Vale lembrar que o banco também tem regulagem de altura, o que torna praticamente impossível alguém reclamar que não se sente confortável ao volante do Polo.

Com comando bem posicionado, os retrovisores elétricos, junto ao puxador da porta do motorista, também contribuem para o conforto e evitam que o motorista tenha de se retorcer dentro do carro para alcançar o comando da porta direita ou tenha de ficar pedindo ao passageiro que empurre a alavanca da regulagem mais para dentro ou mais para fora. Isso é importante em carros que são dirigidos por mais de um motorista.

Foto: Anderson TozatoOutra facilidade: o alarme com controle remoto das portas e do porta-malas é bastante cômodo e prático.

O computador interno do Polo Hatch, aliado ao sistema, permite que se configurem diversas funções, como o levantamento automático dos vidros quando o carro for fechado. Os demais itens são mais questão de estética, com exceção do pára-brisa degradê, bom auxiliar na condução em estradas quando o sol está nascendo ou se pondo.

Ao volante, o motor 1,6 litro do Polo Hatch se mostra bem disposto e agradável. Não há hesitações na aceleração, seja com álcool ou com gasolina, já que ele é flexível. Com álcool, ele rende 103 cv. Aqui, palmas para a engenharia da Volkswagen, que criou um motor com torque em baixa, sem a preocupação de exibir a maior potência da categoria. Até porque, como insistimos, o que importa, para a condução na cidade, é torque.

Foto: Anderson TozatoQuando exigido, o motor do Polo Hatch Sportline não se mostrou econômico, fazendo, com álcool, uma média de 5,5 km/l a 6 km/l. Sem pressão, desnecessária, uma vez que o motor sobra para o carro, ele chega fácil aos 7,5 km/l, talvez até a 8 km/litro. Mas não foi possível atingir essa marca devido ao período de avaliação que, quando o carro é gostoso de dirigir, é sempre muito curto.

O espaço para os passageiros que utilizam os bancos traseiros é razoável e com relativo conforto. Seu porta-malas tem capacidade para até 790 litros de bagagem com o banco rebatido.

Enfim, o carro mostrou atributos que continuam chamando a atenção: estabilidade, boa posição de dirigir e visibilidade. (BN)