enkontra.com
Fechar busca

Automóveis

Peugeot Hoggar 4×4 é um fantástico “buggy”

  • Por Redação O Estado Do Paraná
Hoggar: um brinquedo simplesmente fantástico.

Um super “buggy 4×4” está sendo apresentado pela Peugeot no Salão de Genebra. Sobre o “design” do veículo não há o que falar. Para quem gosta e entende que isso é um “brinquedo”, é simplesmente fantástico. Para quem não entende o carro deve parecer inútil e ridículo.

Mas é apenas um conceito com novas tecnologias e não deve ter chances de chegar a ser produzido. Sem chassi, sua estrutura é em fibra de carbono – “colméia de abelhas” – como nos mais avançados carros tipo Fórmula. Seu ângulo de ataque é de quase 90 graus e o de saída é de 90 graus permitindo que esse carro tenha uma agilidade inusitada. O seu comprimento é de 3,96 m e largura é de 2 metros. Portanto não é um veículo pequeno.

Em seu console central, há um “display” por comando de toque para as múltiplas funções digitais: velocímetro, hodômetros, GPS, e bússola, tudo numa mesma tela. Outras funções podem ser câmeras externas com inclinômetro para facilitar manobras enroscadas; seleção de músicas armazenadas em na memória em MP3 e a última, sobre o funcionamento dos dois motores. O conjunto ótico usa novos “leds” de grande intensidade, inclusive para os faróis.

O Hoggar usa dois motores a diesel de montagem transversal que são fixados em berços tubulares de aço. Os motores de 4 cilindros têm 2.2 litros com 16 válvulas, duplo comando e turbocompressor, chegando aos 178 cv cada um. A potência total do veículo acaba ficando nos 360 cv com torque total de 81,6 kgfm. Os radiadores ficam perto do pára-brisa para garantir o ângulo de ataque.

Cada motor tem seu gerenciamento eletrônico, mas há um módulo supervisor que distribui as ordens enviadas pelo pedal do acelerador e pela alavanca de câmbio única. Há um modo de segurança se for preciso usar apenas um dos motores. São dois tanques de diesel com 80 litros de capacidade cada um e duas caixas de câmbio comandadas eletronicamente por acionadores hidráulicos. O “câmbio” seqüencial de 6 velocidades possui comando no volante ou por alavanca no piso. A suspensão é composta por triângulos de liga leve, barras estabilizadoras e semi-eixos, molas e amortecedores a gás. Os freios são a disco ventilado nas quatro rodas, com 380 mm (15 pol) de diâmetro e 6 pistões cada. As rodas de liga leve aro 21 são exclusivas, bem como os pneus Michelin. E o estepe fica na parte traseira do teto.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas