O luxuoso Peugeot 407 começa a ser vendido nos principais mercados europeus. O novo modelo irá suceder o 406 que, de acordo com a marca francesa, vendeu 1.700.000 unidades no mundo. A Peugeot acredita que o 407 fará o mesmo sucesso de seu antecessor. Para isso conta com o belo “design”.

O perfil do 407, muito puro e formado por linhas tensas, confere ao veículo um aspecto sólido e robusto. Na dianteira, destaque para o capô alongado, com o conjunto ótico, também voltado para o olhar de um “felino”, deitado sobre o pára-choque e laterais. O pára-brisa bem avançado proporciona uma sensação de espaço e de luminosidade para os ocupantes. O 407 é equipado com limpadores de pára-brisa do tipo borboleta, dispondo cada um deles de seu próprio motor e sensor de chuva.

Os bancos dianteiros, que podem dispor de regulagem elétrica e de aquecimento, têm forma ergonômica que contribuem para o conforto de seus ocupantes. Atrás, a ausência de um túnel oferece melhor conforto aos passageiros.

A traseira lembra a de um coupé, curta e bem desenhada. Chamam a atenção, o elevado da tampa do porta-malas e as lanternas quadradas, de um vermelho intenso. Medindo 4,67 metros de comprimento, o 407 está sendo oferecido com motores a gasolina (1.8, 2.0, 2.2 e 3.0 litros) de quatro válvulas por cilindro. Há, ainda, duas motorizações diesel, de 1.6 e 2.0 litros.

O Peugeot 407 pode ser adquirido com transmissão manual de cinco ou seis velocidades, ou, ainda, automática de quatro ou seis velocidades, com comando seqüencial “Tiptronic-system Porsche”. Entre os equipamentos de série há bancos do motorista com regulagem de distância e altura, e como opcional regulagem elétrica e de aquecimento com regulagem individual de temperatura. Há, ainda, rádio CD player, sistema de telefone e navegação por GPs, e um regulador de velocidade (Piloto automático), que se desliga automaticamente em caso de frenagem.