Para os que não têm pretensões de colocar o carro na lama, mas que querem um jipinho urbano, mais alto e espaçoso, podem considerar o Duster 1.6 16V Dynamique uma boa escolha. Um utilitário-esportivo compacto que tem presença de carro médio.

O desenho do modelo divide opiniões. A frente preserva a robustez natural do modelo, com faróis de linhas retas e duplo refletor, grade de barras cromadas e moldura discreta envolvendo a entrada de ar na parte inferior do pára-choque. Retrovisores cromados e barras no teto quebram um pouco o aspecto espartano da versão. As laterais são limpas, com pára-lamas salientes e beiral das portas com barra cromada. A traseira também tem detalhes cromados e pequenas lanternas verticais. Na versão Dynamique, as rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série.

Quanto a acabamento, o Duster segue a mesma política da família Logan, com o uso de materiais mais simples. O painel tem instrumentos com fundo preto e números na cor laranja. Os comandos estão bem localizados, exceto o do ajuste elétrico dos retrovisores externos, que fica sob a alavanca do freio de estacionamento. Um dos principais atrativos do Renault Duster é sem dúvida o espaço interno. A começar pelo porta-malas, que é bem grande.

Há espaço de sobra para o motorista e passageiros, pois o utilitário é bem largo. Os bancos poderiam ser mais confortáveis e apenas o do motorista tem ajuste manual de altura. O banco traseiro também é espaçoso e apóia bem as pernas. Para um veículo com mais de 1.200 quilos, o motor 1.6 16V pode parecer pouco. Pode não ser a melhor opção,(pois existe a versão 2.0),  mas também não decepciona. Em rotações mais elevadas, o motor dá conta do recado, porém sem brilho. Com apenas o motorista e um passageiro, o Duster anda bem na cidade e na estrada, porém sem empolgar muito nas arrancadas e retomadas de velocidade.

Carregado e com ar-condicionado ligado, o desempenho cai, exigindo muitas trocas de marcha para melhor aproveitamento da força do motor. Porém as suspensões garantem equilíbrio entre conforto e estabilidade. O Duster 1.6 passa bem por estradas de terra, superando com certa facilidade pisos irregulares. O câmbio tem bons engates e boa relação de marchas, mas é um pouco barulhento. A posição de dirigir é elevada e o volante tem ajuste de altura. Nesta versão o sistema de freios tem ABS de série e atuou de forma eficiente.

Durante a avaliação do Jornal do Automóvel o computador de bordo acusou consumo médio de 8,9km/l na cidade e 13,5km/l na estrada com gasolina. Mas com etanol os números ficaram em 6km/l e 10km/l, respectivamente. O Duster 1.6 é um jipinho urbano que vem fazendo sucesso junto às mulheres nas tarefas do dia a dia na cidade.

Veja na galeria de fotos o carro das Renault.

Veja na galeria de fotos o carro das Renault.