enkontra.com
Fechar busca

Automóveis

Norberto Jung: O chamado “Senhor Pilotaço”

Iniciaremos hoje relato sobre a trajetória de um dos grandes pilotos de carreteira.

  • Por Ari Moro

Com a preciosa colaboração do amigo antigomobilista e pesquisador da história do automobilismo de competição gaúcho – Nelson Rocha, de Passo Fundo/RS – iniciaremos hoje relato sobre a trajetória de um dos mais destacados pilotos de carreteira do Rio Grande do Sul e considerado o maior vencedor de corridas de longo percurso em estradas no Brasil, isto é, naquele tempo das difíceis estradas pavimentadas apenas com saibro, nas quais, ou o piloto era “bom de braço” ou ia parar numa barroca: Norberto Jung. Além de tudo, Norberto Jung é considerado um dos iniciadores do automobilismo de competição no solo gaúcho e entre outras coisas foi fundador da escuderia Galgos Brancos, que tornou-se famosa no país por reunir pilotos de ponta, entre os quais Catharino Andreatta, três vezes vencedor da Mil Milhas Brasileiras. Jung iniciou sua trepidante carreira no automobilismo em 13 de maio de 1927, quando tinha apenas 24 anos de idade e participou de corrida no Circuito de Outono, realizado na cidade de Porto Alegre/RS, classificando-se em quarto lugar na boléia de um Dodge monoposto que levava o número 5. Nesta ocasião era realizada a Primeira Exposição de Automóveis no bairro Menino Deus, na capital gaúcha. Naquele mesmo ano, no dia 20 de novembro, participou da Segunda Prova do Quilômetro Lançado (prova de arrancada da época) no Rio Grande do Sul, quando aconteceu o curioso: classificou-se em primeiro lugar com aquele Dodge monoposto, agora número 17, fazendo a média de 139 quilômetros/hora e, em segundo lugar também, pois, competiu com dois carros diferentes. Mas, já no período de 28 de março a 1.º de abril de 1934 acontecia uma das mais emocionantes corridas de automóveis da época, ou seja, a grande prova Montevidéo (Uruguai)-Porto Alegre-Montevidéo, ao longo de 2.035 quilômetros de estradas, em várias etapas. Nada menos que dezesseis carros foram inscritos, porém, apenas sete deles concluíram o percurso, devido às grandes dificuldades das estradas. Norberto Jung estava entre estes últimos, desta vez pilotando um Ford com motor V8, classificando-se em terceiro lugar, feito extraordinário de então. No ano seguinte, dia 15 de novembro, foi realizado o Primeiro Circuito da Cidade de Porto Alegre, em comemoração a Revolução Farroupilha, oportunidade em que Jung, novamente com carro Ford V8 monoposto, obteve a vitória. O internacionalmente disputado e conhecido Circuito da Gávea, no Rio de Janeiro/RJ, em sua quarta edição, no dia 7 de junho de 1936, contou com a presença do piloto que, a bordo de um carro Ford V8 monoposto adaptado, fez o quinto lugar. O intrépido piloto alcançou sua primeira grande vitória, desta vez no âmbito internacional, noutra das mais famosas corridas de longo percurso por estradas, na distância de 3.200 quilômetros, entre Montevidéo e Rio de Janeiro. O grande raide, reunindo pilotos de vários países sul-americanos, foi cumprido em oito etapas, sendo que, numa delas, os participantes pernoitaram na cidade de Tijucas/SC, a 15 quilômetros da praia de Itapema/SC. Jung venceu a maratona automobilística com um carro Ford V8 com o número 20, sendo que, outro gaúcho – João Caetano Pinto – chegou em segundo lugar com carro Ford V8 também, com o número 23.  Na foto, Jung com sua carreteira Ford V8 n.º 20, que venceu a corrida Montevidéo/Rio de Janeiro. (Continua).

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas