Quando se fala em carros elétricos, uma inevitável tendência para futuro próximo nos vem à cabeça. A primeira idéia é a de um veículo moderno, com formas aerodinâmicas e estilo que parece ter saído das telas de cinema. Mas as coisas mudam e algo diferente pode surgir nesse imprevisível cenário.

E foi o que aconteceu no Japão, onde o pequeno fabricante de veículos Takayanagi apresentou o Miluira Retro EV, um carro de dimensões e peso reduzidos, com desenho inspirado nos automóveis dos anos ’20. O modelo pesa apenas 350kg, não tem portas nem teto e mede 2,18m de comprimento.

Suas linhas realmente lembram os carros do início do século passado, com pára-lamas ondulados, formando uma peça única com os estribos laterais. Os faróis redondos salientes e a grade dianteira trabalhada ajudam a compor a imagem retrô.

O pára-brisa é uma pequena lâmina de vidro e o painel e a coluna de direção são feitos com material que imita madeira. É um carro com capacidade para apenas o motorista.

Feito com estrutura tubular, o Takayanagi Miluira Retro EV é impulsionado por um motor elétrico de 35kW, alimentado por seis baterias de chumbo-ácido, em vez das mais modernas e eficientes de íon-lítio.

Para carregá-las, são necessárias 12 horas ligadas à rede elétrica doméstica, o que rende uma autonomia de 35 quilômetros. O carrinho parece mesmo ser voltado única e exclusivamente ao uso urbano, pois não ultrapassa os 60 km/h.

O primeiro carro elétrico da Takayanagi tem um outro detalhe que pesa negativamente em seu currículo: o preço. O modelo será vendido no Japão a partir de 2011 por 6,3 milhões de ienes, o equivalente a aproximadamente R$ 127 mil.

Muito dinheiro por um carrinho de marca pouco conhecida e com performance não muito entusiasmadora. Principalmente se levarmos em consideração que o compacto japonês vai ser mais caro do que o Chevrolet Volt e o Nissan Leaf, opções mais eficientes do segmento de elétricos.