Olhe bem para o Kia Soul. Seu “design” às vezes parece um monovolume, outras um jipinho, mas não um carro coreano. De acordo com a Kia o Soul é um “hatchback” de cinco portas, com tração dianteira, linha do teto elevada e entre-eixos alongados, o que é pouco comum. Nas palavras de diretores da Kia Motors do Brasil, o veículo fabricado em Gwangju, na Coreia do Sul, inaugura a categoria do “carro design”.

A primeira vista se acha o carro esquisito. Mas com passar do tempo essa impressão passa logo. O Soul mistura um design ‘quadrado’ com linhas curvas e formas ressaltadas, com desenho de faróis e lanternas diferenciado.

Resultado: um visual atraente. Detalhes de plástico preto nos para-choques, frisos laterais e barras de teto dão ao carro o aspecto “off-road”. A grade frontal, inspirada na “boca de um tigre”, traduz a nova identidade de “design” da Kia.

Ele é na realidade um “crossover” urbano, com perfil inconfundível. De frente, capô elevado e formas arredondadas. Pára-lamas salientes e a bitola larga proporcionam ao carro um apoio que dá sensação de estabilidade.

A sua lista de equipamentos é interessante. Traz câmera com visor LCD (que aparece no retrovisor interno), acionada com a marcha-a-ré, para auxiliar nas manobras, item não encontrado nem como opcional nos concorrentes – CrossFox, Ecosport, Fit EX e Sandero Stepway.

Há também rádio CD Player com MP3, USB, entrada auxiliar para iPod (inclusive com o cabo), volante multifuncional, ar-condicionado, tomada 12 V no console central e porta-malas, trio elétrico, entre outros itens.

E na traseira, a porta vertical do porta-malas lhe da um ar retrô. O Soul tem bom acabamento interno, e muito espaço para acomodar confortavelmente quatro pessoas (ou até cinco, quem sabe).

Na versão topo de linha, acabamento em couro apenas no volante. Os bancos são de tecido e trazem a nomenclatura ‘Soul’ no encosto. O interior do porta-luvas e porta-objetos central (acima do rádio) tem a cor vermelha, em todas as versões, e há lugares para copos e garrafas nas portas.

O Soul será comercializado somente com a opção de motor 1.6 litro, de 4 cilindros e 16 válvulas, de 124 cv, a gasolina. A versão flex chega em 2010, garante o fabricante.

Cinco versões estarão disponíveis no mercado brasileiro: três com câmbio manual de cinco marchas e duas com câmbio automático de quatro velocidades, por preços que variam de R$ 51.490 a R$ 64.900,00.

Na versão topo de linha (com câmbio manual ou automático), as rodas são de liga-leve 18”. Os demais modelos saem de fábrica com rodas de aro 16 polegadas.