Uma trajetória de 84 anos chega ao fim. A Volkswagen encerrou oficialmente a produção mundial do Fusca, que passou a ser chamado de New Beetle (o novo besouro) em sua versão moderna, lançada em 1997. A última unidade deu adeus às 14h20 (de Brasília) desta quarta-feira (10) na fábrica de Puebla, no México. A despedida teve uma cerimônia de agradecimento ao carro mais icônico da indústria automotiva, com direito à música mariachi e muito aplauso.

Os funcionários mexicanos vestiram uma camiseta com a inscrição ‘Bye, Bye Beetle’. Na unidade de Puebla foram fabricados desde 1997 mais de 1,7 milhão de exemplares do Vocho, como o Fusca era chamado por lá. A última unidade foi montada do início ao fim em sete horas.

A montadora também postou um vídeo no Twitter mostrando o momento em que a última unidade deixa a linha de montagem.

Apesar da atmosfera festiva, a despedida foi em clima de nostalgia por encerrar a produção de um dos carros mais emblemáticos da empresa alemã.  O fim já fora anunciado pela VW no ano passado. A série Beetle Final Edition marcará o ponto final. Serão 65 unidades vendidas no México apenas pela internet, com preços partindo de US$ 21 mil (cerca de R$ 80 mil).

Cada unidade vem com uma placa comemorativa seriada do 1 ao 65 do lado esquerdo. As cores disponíveis são o azul metálico, preto, branco e bege.

Em todo o mundo, foram produzidas 21 milhões de unidades desde o primeiro exemplar em 1935. Deste total, 3 milhões em solo brasileiro, o que fez do país o terceiro maior produtor do veículo, atrás apenas da Alemanha e Estados Unidos.

Modelo do primeiro Fusca, obra de Ferdinand Porsche, exposto no museu da montadora em Frankfurt (Alemanha). Foto: Eduardo Luiz Klisiewicz / Tribuna do Paraná
Modelo do primeiro Fusca, obra de Ferdinand Porsche, exposto no museu da montadora em Frankfurt (Alemanha). Foto: Eduardo Luiz Klisiewicz / Tribuna do Paraná

A trajetória do Fusca:

1934 – Por ordem de Hitler, o projetista austríaco Ferdinand Porsche é contratado para produzir o projeto do Fusca. O primeiro protótipo surge um ano depois.

Ferdinand Porsche e sua criação. Foto: Volkswagen / Arquivo
Ferdinand Porsche e sua criação. Foto: Volkswagen / Arquivo

1935 – Apresentação oficial do ‘Volkswagen’, com que tinha como peculiaridade a ausência da janela traseira.

1936 – Em julho, saem as primeiras unidades do sedã (V1). A resistência delas é testada em um enduro de 50 mil km. No mesmo ano surge a versão conversível.

1939 – Mal os ‘besouros’ começam a ser fabricados quando, no auge da 2ª Guerra Mundial, a produção é interrompida para a montagem de veículos militares, usando o modelo como base.

Hitler e o Fusca. Foto: Divulgação
Hitler e o Fusca. Foto: Divulgação

1947 – Onze anos depois do desenvolvimento dos sedãs, a Alemanha realiza as primeiras exportações. Os carros vão para a Holanda e os EUA.

1950 – Em setembro, chegam ao Brasil os primeiros modelos. Cinco anos depois, a fabricante alcança a marca de um milhão de unidades na Alemanha.

1959 – O Fusca passa a ser feito oficialmente no Brasil, com 54% das peças nacionalizadas. Em 1972 foi a vez de o país atingir o um milhão de veículos.

Fusca começa a ser produzida em série no Brasil. Foto: Arquivo
Fusca começa a ser produzida em série no Brasil. Foto: Arquivo

1984 – Modelo começa a usar o motor 1600, de 46 cv.

1986 – Para fabricar outros modelos, a VW do Brasil abandona a montagem do Fusca. No México, ele continua em linha.

1993 – O sedã volta em 1993 a pedido do então presidente da República Itamar Franco. Com isso ganhou o nome de ‘Fusca Itamar’.

Foto: Arquivo
Foto: Arquivo

Presidente da República Itamar Franco no retorno do Fusca. Foto: Divulgação

1996 – O retorno durou apenas três anos, saindo definitivamente de linha no Brasil. No México, o Vocho, como era chamado o Fusca por lá, permaneceu em produção até 2003.

1997 – Surge o New Beetle, a releitura moderno do velho Fusca. O modelo pôs fim ao legado popular do veículo, assumindo uma proposta mais sofisticada e, por isso, bem mais cara. O carro foi produzido no México e exportado para outros mercado.

1999 – O New Beetle chega ao Brasil com mecânica do Golf. O motor 2.0 a gasolina era associado ao câmbio automático de 4 marchas.

2006 – O modelo recebe sua primeira reestilização.

Duas gerações numa mesma foto. Foto: Divulgação
Duas gerações numa mesma foto. Foto: Divulgação

2011 – O Beetle muda de geração e a Volks decide resgatar os nomes como o modelo popular era conhecido em diferentes país. No Brasil, vou a chamar Fusca, na França, Coccinelle, e na Itália, Maggiolino.

2012 – O ‘novo Fusca’ estreia em solo nacional com motor 2.0 turbo e opção de câmbio manual ou automatizado de dupla embreagem. O garoto-propaganda à época era o jogador Neymar.

2017 – O carro se despede do Brasil sem muito alarde.

2018 – Volkswagen anuncia para 2019 o fim definitivo da produção do Fusca, com as últimas unidades recebendo o nome de Final Edition.

2019 – No dia 10 de julho o derradeiro Fusca/ Beetle sai da linha de montagem de Puebla, no México.