A partir de abril, a família Transit ganhará mais um integrante: a versão Chassi. Ela conta com PBT de 3.300 kg a 3.500 kg, comporta baú de até 20,3 m³.

Tem circulação livre nas cidades com restrição ao uso de caminhões. Não exige habilitação especial.

É equipada com motor Duratorq de 2.4 litros e uma ampla lista de equipamentos de série. Ideal para o transporte de alimentos, móveis, flores, roupas e diversos tipos de cargas volumosas com baixo peso específico, o Transit chassi conta com extensa lista de equipamentos de série como “air bag” para o motorista, freios ABS e disco nas 4 rodas, espelhos retrovisores duplos com hastes estendidas, cintos de segurança de 3 pontos para todos os passageiros e sistema eletrônico de estabilidade — ESP com 4 sistemas: EBD (distribuição eletrônica de aplicação do freio), BTCS (sistema de controle de tração pelo freio), HBA (assistência ao freio em emergência) e LAC (controle de adaptação de carga).

Vêm ainda, com transmissão de seis velocidades com alavanca no painel, oito níveis de ajuste do banco do motorista, apoio para braço, diversos porta-objetos distribuídos pela cabine, porta-garrafa, superfície plana no painel para apoio de pastas, laptops e teclados, retrovisores elétricos com haste estendida e espelho convexo, regulagem de altura dos faróis por meio de um botão no painel, chave codificada, alarme à prova dágua e duas baterias.

O Transit Chassi tem distância entre-eixos de 3,95 metros, oferecendo um bom espaço para os ocupantes na cabine. Para aumentar o conforto vem de série com travamento e abertura de todas as portas por controle remoto, vidros e retrovisores elétricos, rádio CD player com controle no volante e entrada auxiliar para MP3, travamento automático das portas a 8 km/h, duas tomadas de 12 volts no painel e luz de cortesia.

Sua direção hidráulica de série reduz em até 80% o esforço físico do motorista nas manobras. O Transit chassi está equipado com o mesmo motor de toda a linha, ou seja, o Duratorq Turbo diesel 2.4 litros, que desenvolve 115,6 cavalos de potência máxima a 3.500 rpm e 32 mkgf de torque máximo a 1.750 rpm.

Com quatro cilindros em linha, sistema de injeção “common-rail” de segunda geração e partida a frio, ele se destaca, de acordo com a Ford pelo desempenho, economia, funcionamento silencioso e nível reduzido de emissões. O preço (por estratégia da Ford) será divulgado apenas no início de abril, em seu lançamento.