ja612.jpgA Ford anunciou que o Mustang Shelby GT500, com lançamento programado para o segundo semestre do ano que vem nos Estados Unidos, como modelo 2007, terá também uma versão conversível. O modelo, equipado com motor 5.4 L V8 Supercharger, com 444 cv, será o Mustang conversível mais potente já produzido nos 41 anos de história do modelo.

O lendário preparador Carroll Shelby, responsável pelo Mustang Shelby original, foi convidado a participar do projeto junto com o time de veículos especiais da Ford, o SVT, e dar seu selo de aprovação ao modelo. E não economizou elogios.

?Conversíveis geralmente não combinam com alto desempenho, mas esse GT500 é diferente. Ele é forte, veloz e se equipara aos melhores esportivos, com um estilo próprio?, disse Shelby.

No projeto do Shelby GT500 os engenheiros do Ford SVT usaram a mesma estrutura do Mustang 2005 conversível, mas conseguiram obter uma resistência torcional duas vezes mais forte. A robustez foi ampliada com novos desenhos da estrutura e dos painéis da carroceria, sem a necessidade de reforços em excesso.

Por isso, o peso do conversível é apenas cerca de 57 kg maior que o do cupê, o que permitiu a utilização da mesma geometria de suspensão, com mudanças limitadas à calibração das molas, barras e amortecedores.

Enquanto o cupê traz as clássicas faixas que percorrem toda a carroceria, da frente à traseira, no estilo Shelby LeMans, o conversível apresenta faixas mais discretas nas laterais, com o logotipo GT500. Na frente, destaca-se o novo desenho do capô e aberturas que otimizam a aerodinâmica e o fluxo de ar.

Os faróis têm desenho mais agressivo. Pela primeira vez num Mustang SVT, a grade frontal exibe, em vez do tradicional distintivo do cavalo a galope, uma cobra deslocada do centro. A traseira é equipada com um difusor de ar inspirado no Ford GT.

No novo Ford Mustang GT500, o mesmo motor V8 de 32 válvulas e 62 kgfm de torque equipa as versões cupê e conversível. E, como o aumento de peso deste último foi limitado ao mínimo, poucas modificações precisaram ser feitas na suspensão, o que garante uma experiência de dirigir muito próxima da oferecida pela versão cupê. É o Mustang conversível mais potente já produzido com 444 cv de potência.