Atendendo a uma “exigência” dos britânicos e europeus de um modo geral, a Ford (GB) inglesa anuncia a chegada ao mercado (para o fim deste ano) do Fiesta versão ST. O carro está sendo apresentado oficialmente, no Salão de Genebra 2004.

Criado sobre a versão do novo Fiesta 3 portas, que ainda não chegou ao nosso mercado, o ST assinala aos consumidores com a lembrança do que foi o Fiesta XR2i: “letal”. Identificado pelas letras ST (Sports Technologies), o Fiesta é o primeiro dos novos produtos da Ford Sports Tecnologies a receber apenas essa identificação, até então alfa-numérica, como no Mondeo ST220 e outros. Mas, a estratégia de fixação da “marca” já atingiu seus objetivos e, de agora em diante, as novas versões serão nomeadas apenas ST.

Para tornar o carro mais robusto, várias alterações estruturais foram feitas. Nova geometria e calibragem de suspensão surgem para o Fiesta ST, cautelosamente preparado para suportar o maior torque do motor 2.0 Duratec e se comportar como um “guerreiro”: ágil, agressivo, robusto e muito bem armado, pelo que se deve entender bem motorizado.

O propulsor que vai sob o capô é um 4 cilindros 2.0 DOHC Duratec HE, com 145 cv de potência, o mesmo do Mondeo. Acompanhado de câmbio manual de 5 velocidades e relação final um pouco mais longa se comparada à original do Fiesta, ele deverá “barbarizar” nas ruas do velho continente.

Mas, o melhor de tudo é a relação peso/potência, qualquer coisa perto de 7,4 kg/cv (dado não oficial). Com isso, o Fiesta ST promete grandes momentos.

Visualmente, o ST é pura emoção. O pequeno “spoiler” dianteiro embute parte da grade do radiador, emoldurada em preto. As discretas saias laterais, em altas velocidades, aceleram a passagem do ar sob o automóvel e acentuam o “down force”, reforçado pela presença de um pequeno aerofólio sobre a tampa do porta-malas. O aerofólio compõe o aspecto esportivo e reduz o “lifting”, que se traduz por uma traseira passarinheira ou inquieta (sem aderência).

As rodas são aro 17 polegadas e “vestem” pneus bem encorpados, perfil ultra-baixos, o complemento ideal para um conjunto de suspensão com calibragem esportiva. Em fim, o Fiesta ST é um automóvel próprio para ser usado, como se diz na gíria dos boxes: “na borracha”.