Na frente linhas fortes e
faróis com lentes transparentes.

O Stilo que a Fiat Automóveis deverá lançar no mercado em setembro próximo será o sucessor dos modelos Brava e Bravo. O carro fez sua estréia mundial no Salão de Genebra, com linhas que sugerem esportividade. Um novo carro, um novo tempo para a Fiat brasileira. O Stilo deverá ser um divisor de águas para a montadora de Betim (MG), às voltas com o pouco sucesso do Brava e com a ascensão de seus concorrentes nesse disputado segmento.

Versátil e mais seguro, o novo carro médio da marca italiana deve agitar ainda mais a acirrada disputa por um lugar de destaque no segmento. Se comparado ao Brava, ele desbanca o modelo em espaço interno, motor e tecnologia. Disponível com três ou cinco portas, é maior do que os modelos que substitui, o que significa mais espaço interno e um porta-malas maior.

A linha Bravo (hatch três-portas) e Brava (notchback cinco-portas) foi lançada na Europa em 1995 para substituir o Tipo. Mas a diferenciação em dois modelos não teve tanto sucesso, fazendo a marca italiana voltar a um modelo único, com opção de portas traseiras.

O visual esportivo conta com faróis com refletores de superfície complexa e lentes transparentes maiores que as da linha Bravo/Brava. De contornos arredondados, o pára-choque dianteiro exibe largas entradas de ar para refrigeração do motor e dos freios. Atrás, as ousadas lanternas do Brava e Bravo deram lugar a um conjunto mais sóbrio, em harmonia com o restante das linhas do carro.

O Fiat Stilo é um modelo totalmente novo, com outra plataforma e concepção diferenciada de aproveitamento de espaço e desempenho nesse segmento de carros médios. Comparando-se as dimensões do Stilo de 5 portas com as do Brava, nota-se que o novo modelo tem 6 centímetros a mais de comprimento e de distância entreeixos. A largura é praticamente a mesma (1,74m do Brava ante 1,76m do Stilo), mas o novo modelo é 8 centímetros mais alto (1,51m ante 1,43m). Assim, talvez desperte o interesse até dos potenciais compradores de peruas compactas e de minivans. A motorização da linha que será lançada em setembro é mantida em sigilo pela Fiat brasileira.