Objeto de desejo em qualquer lugar do mundo, e atributos para isso não lhe faltam. Polonês, baixinho, atarracadinho e cinquentão.

Estamos nos referindo ao Fiat 500 (“Tchinqüe Tchento”), que chega ao mercado brasileiro com um passado e tanto.

A história do Fiat 500 começou em 1936, na Itália, o carro viveu até 1975 e em 2007 foi relançado para buscar um novo tipo de consumidor: mais exigente que busca exclusividade, “status” e requinte. É assim que o Cinquecento chega ao Brasil, (dois anos após seu lançamento e 400 mil unidades vendidas), depois de encantar a Europa, conseguindo penetrar em mercados fechados como Espanha e Inglaterra.

O Cinquecento, como é conhecido em todo o mundo, voltou para ser objeto de desejo e não simplesmente mais um modelo à disposição do consumidor. Suas formas bem pensadas contam mais de meio século de história em cada linha.

Agora o Cinquecento desembarca no Brasil disposto a mostrar porque se transformou em tamanho sucesso. O pequeno “hatchback”, medindo 3,55 m de comprimento, vai provar que tamanho não é documento.

A referência mais forte ao carro anterior é a combinação de faróis redondos superiores com luzes de posição inferiores e o logotipo inserido entre frisos, ou “bigodes”. Seu capô curto e arredondado transmite robustez e dinamismo. E a linha da cintura levemente inclinada na dianteira reforça esses atributos.

Maçaneta cromada que relembra o apoio da placa do primeiro Fiat 500 se destaca na traseira. Da lateral podem-se ver os conjuntos de luzes dianteiro e traseiro devido ao modo como os contornos arredondados ligam as diversas partes do carro. E a janela traseira termina nos limites da tampa do porta-malas, dando ao conjunto aspecto moderno e puro.

Os estilistas capricharam também no “design” interno se inspirando no antecessor, começando pelos instrumentos agrupados num único painel que contém velocímetro, conta-giros e computador de bordo, todos concêntricos e visualizados em conjunto, instantaneamente.

Uma mistura dos estilos retrô e moderno. Destaque, ainda, para a pintura brilhante da carroceria na parte central do painel. Seu porta-malas tem espaço suficiente para pequenas bagagens dos ocupantes com seus 185 litros.

Pequeno, com motor 1.4 de 100 cavalos e com lugar para apenas quatro pessoas, o Cinquecento vai custar no mínimo R$ 62.870,00, isso na versão Sport com câmbio mecânico. Pode chegar a R$ 68.970,00 na versão Louge com câmbio “dualogic”.

As 150 concessionárias escolhidas para comercializar o Cinquecento terão uma área exclusiva para este fim e a montadora preparou um programa de atendimento altamente personalizado. Toda a rede Fiat de 520 concessionárias está capacitada para fazer o atendimento técnico.