A Europa está em crise. Entretanto, a falta de empregos e as dificuldades econômicas enfrentadas pelo Velho Mundo não desanimaram o setor das duas rodas. O Intermot, ou simplesmente Salão de Colônia, cidade localizada no Noroeste da Alemanha, está mostrando que o mercado ainda respira e, acima de tudo, se renova para o ano que vem. Nesta edição, mais de mil expositores de 37 países estão mostrando suas novidades, com destaque para as marcas BMW, KTM, Suzuki, Honda, Triumph, Ducati, Kawasaki e Yamaha.

Suzuki

Para atualizar a lendária hiperesportiva Hayabusa GSX 1300R, a fábrica japonesa adotou freios de fixação radial com sistema ABS, mas não fez outras mudanças profundas. Voltado principalmente à Europa, o maxi-scooter Burgman 650 foi totalmente renovado. Outra novidade foi a estreia da C 1500T, uma custom que traz como grande diferencial as malas laterais integradas de série. A Suzuki ainda apresenta um conceito que deve dar origem a uma nova V-Strom 1000 (foto), modelo fora do line-up mundial da montadora desde 2010.

Triumph

A Street Triple 675 foi atualizada para tentar reconquistar o posto de moto mais vendida da marca em todo o mundo. O quadro de alumínio foi redesenhado e a naked com motor de três cilindros em linha abandonou a dupla saída de escape na rabeta e conta a partir do próximo ano com uma única ponteira localizada sob a moto. Outra novidade são os freios com sistema ABS que agora pode ser desligado. As rodas de liga-leve também ganharam novo formato. A Triumph irá montar ao menos três modelos em sua fábrica em Manaus (AM).

Kawasaki

A Kawasaki mostra as novas versões da superesportiva Ninja ZX-6R (foto), que volta a contar com o propulsor de 636 cc que já equipou gerações anteriores da moto. Com o novo motor, a Ninja passa a entregar 137 cv a 13.500 rpm, no lugar dos 128 cv a 14.000 rpm do modelo anterior e recebeu também todo um novo kit eletrônico que inclui freios ABS e controle de tração ajustável em até três níveis. A Ninja 250R recebeu um motor maior e passa a se chamar Ninja 300 ou simplesmente ZX-3.

Honda

O modelo apresentado pela Honda que mais irá agradar aos brasileiros não estará à venda por aqui e, por enquanto, em nenhum lugar do mundo. Trata-se da CRF 450 Rally, modelo exclusivo para competição, que será entregue aos pilotos oficiais da marca, incluindo o mineiro Felipe Zanol. Desenvolvida com a base da CRF 450X, a moto fará sua estreia no Rally do Marrocos.

Ducati

A Ducati mostra a bigtrail Multistrada que chega nas versões Standard, S Touring, S Pikes Peak e a novíssima S Gran Turismo, com malas laterais e bauleto, ideais para longas viagens, além de faróis de neblina em LED. As versões S da bigtrail italiana também receberam upgrades como freios ABS e a nova suspensão Skyhook. A marca italiana também aproveitou o salão para celebrar os 20 anos da naked Monster, que debutou neste mesmo evento em 1992. Para comemorar, a Ducati lançou uma edição especial de aniversário da Monster.

BMW

A nova R 1200 GS trouxe um desenho mais moderno e um pacote tecnológico mais completo. Agora, além do controle de tração e das suspensões controladas eletronicamente, conta com cinco modos de piotagem e acelerador eletrônico. Os freios também foram retrabalhados: da marca Brembo com pinças de fixação radial e sistema ABS projetado para o off-road.

Yamaha

A sport-touring FJR 1300, embora não poss,a ser considerada uma novidade, recebeu melhorias suficientes para assumir o papel de principal estrela da marca japonesa. Além das óbvias atualizações estéticas, o modelo ganhou acelerador eletrônico, seletor do modo de pilotagem (sport e touring), Cruise control e um bem-vindo controle de tração.

KTM 1190 Adventure

A bigtrail Adventure é uma espécie de cartão de visitas da austríaca KTM. Justamente por isso, a fábrica de Mattinghoffen apostou alto e renovou completamente o modelo. O propulsor é o mesmo da esportiva RC8: um dois cilindros em V de 1195 cc, porém ajustado para oferecer mais torque. O desenho é novo e, diga-se, bastante moderno e de bom gosto.