Depois de assumir a operação de seus negócios no Brasil e Uruguai em outubro de 2012, a montadora chinesa Lifan quer consertar os erros do passado e começar uma nova história no mercado brasileiro. Os antigos modelos vendidos aqui o 320 e o 620 (que lá fora também estão mudando e passam a ser chamados 330 e 630) deixam de ser comercializados e a empresa lança o SUV X60. O carro, que já está chegando nas concessionárias, foi apresentado em Punta del Este, no Uruguai, país em que o modelo está sendo montado.

Para conquistar os consumidores, a Lifan usa a mesma fórmula das outras montadoras chinesas: produtos completos por preços competitivos. O X60 custa R$ 52.777 e tem uma extensa lista de itens de série. Por fora, o SUV tem rack de teto, grade frontal cromada, lanternas em LED, faróis de neblina e piscas nos retrovisores. Por dentro, os bancos de couro ecológico são na cor bege. O consumidor brasileiro prefere cores escuras no interior. Segundo a Lifan, logo deve chegar ao mercado a opção dos bancos pretos. As cores disponíveis para a carroceria são: preta, prata, vermelha, branca e verde.

O sistema multimídia traz DVD, GPS, MP3, Bluetooth, CD player, entrada USB e rádio AM/FM com tela de 7 polegadas. Os comandos podem ser dados por controle remoto e também estão disponíveis no volante. O X60 conta, ainda, com câmera de ré e sensor de estacionamento, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas, ajuste elétrico dos retrovisores, sensor crepuscular que acende os faróis quando escurece, ajuste elétrico de altura dos faróis e volante com regulagem de altura.

No quesito segurança, o X60 vem equipado com airbag duplo, sistema de freio com ABS e EBD e sistema de fixação de cadeiras para crianças tipo Isofix. O modelo da Lifan está sendo vendido com garantia de cinco anos e assistência 24 horas prestada por uma empresa contratada pela montadora.

Sob o capô

O motor escolhido pela Lifan para equipar o seu utilitário esportivo é um 1.8 litro que desenvolve 128 cavalos de potência máxima a 6.000 rpm e 16,8 kgfm de torque a 4.200 rpm. O trecho do test drive em Punta del Este, no Uruguai, foi de aproximadamente 30 quilômetros. No percurso não havia subidas que permitissem avaliar como o propulsor se comporta em situações que exigem mais força. O câmbio é manual de cinco marchas. José Roberto Favarin, vice-presidente da Lifan Motors, afirma que em breve deve chegar ao mercado a opção com câmbio automático.

O X60 é espaçoso. O porta-malas tem capacidade para 405 litros, volume que sobe para 1.700 litros quando os bancos são rebatidos. O comprimento total é de 4,3 metros e a distância entre-eixos é de 2,6 metros. A largura chega a 1,79 metro e a altura, 1,69 metro. As dimensões e capacidades do SUV da Lifan são semelhantes as de seus principais concorrentes: Renault Duster, Ford Ecosport e Chery Tiggo.

A Lifan está de volta disposta a conquistar mercado, mas ainda precisa ampliar sua rede de concessionárias. Atualmente são 25 e a meta é chegar a 50 até o fim deste ano. O volume de vendas estimado é de 400 unidades do X60 por mês. Novos produtos só devem chegar no fim de 2013 ou início de 2014. Está previsto o lançamento de uma picape, a Foison, e de um sedã médio. Em Curitiba, as duas lojas que funcionavam na cidade fecharam em 2012. A expectativa é de que uma nova loja abra as portas em breve.

Além de uma rede ainda pequena, a Lifan precisa vencer a resistência dos consumidores aos carros chineses, que ainda existe. E há razões para isso. O X60, por exemplo, embora bem equipado e com um preço atraente, sofre com a falta de cuidados com os detalhes. Emendas desnecessárias no carpete do porta-malas, por exemplo, revelam esse descuido. Na frente, entre os bancos, foi colocado um apoio de braço, que pode ser aberto e usado como porta-objetos. A intenção é boa, mas ao abrir nota-se, mais uma vez, um acabamento que deixa a desejar.

Negócios

A Lifan foi fundada por Yin Mingshan há 21 an,os e está presente em 165 países da Ásia, Europa, África e América do Sul. Suas fábricas ficam na China, Rússia, Irã, Etiópia, Azerbaijão, Uruguai, Iraque e Mianmar. A unidade do Uruguai, que vai abastecer o mercado brasileiro, está na cidade de San José. Em 2014, quando estiver em pleno funcionamento, terá capacidade para montar 40 mil veículos por ano operando em dois turnos.

Mingshan, que também é o chairman da montadora, diz que a Lifan pode ter outra fábrica na América do Sul, se houver demanda por seus veículos que justifique um novo investimento. De acordo com ele, se isso acontecer, será dada prioridade para o Brasil. “Não temos local definido, vai depender das propostas dos estados, mas gostaríamos de nos instalar numa zona industrial”, afirma.

* A jornalista viajou a convite da Lifan.

 

Divulgação