A Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), comemorou o final da temporada de 2010 com uma marca inédita em sua história: a entidade filiou 11.518 pilotos e navegadores nos últimos 12 meses, aumento de 28,5% em relação ao ano anterior, quando 8.963 competidores foram cadastrados.

É a primeira vez que a marca de 10 mil filiados é superada desde a fundação da CBA, em 7 de setembro de 1961. As categorias que mais cresceram foram o rally e o kart; para o presidente Cleyton Pinteiro, a conquista significa, principalmente um aumento de responsabilidade.

“Quero agradecer aos novos 2.555 esportistas que se juntaram aos antigos filiados da CBA a confiança que depositaram em nós este ano. Mais do que qualquer outra coisa, isso significa a cobrança, muito bem-vinda, para que nossa equipe continue fazendo um trabalho melhor, também cada vez melhor. Corrigindo erros e aprimorando acerto para seguir caminhando na direção certa”, comentou Cleyton.

A categoria que registrou o maior crescimento foi o rally, com um número de pilotos e navegadores 67% maior do que no ano passado: em 2009, eram 3.947 filiados, número que saltou para 6.591 em 2010.

Atualmente, 4.908 pilotos e 1.683 navegadores correm sob a supervisão da CBA. Segundo Djalma Neves, presidente da Comissão Nacional de Rally, o aumento se deve ao trabalho da CBA nas categorias de base da modalidade, em parceria com montadoras como Fiat, Mitsubishi, Peugeot e Troller nos campeonatos que supervisionados pela entidade.

“Nos concentramos nesses campeonatos organizados pelas montadoras e que são realizados em diversos estados. Nossa meta é atrair os pilotos estreantes e universitários, que mostram interesse em competir mas nem sempre encontram apoio e facilidades. Os números provam que incentivar os novatos a continuarem no esporte e aumentar a promoção e a visibilidade do automobilismo nacional é um caminho bastante válido”, argumentou Djalma.

O kart, modalidade onde a grande maioria dos pilotos inicia sua carreira no automobilismo, também teve um crescimento considerável, aumentando em 9% seu número de competidores, passando de 1.696 em 2009 para 1.849 neste ano. Para o presidente da Comissão Nacional de Kart, Rubens Gatti, essa tendência deverá ser mantida e até crescer em 2011.

“Pouco a pouco notamos que as mudanças e adaptações nas categorias existentes revigoram a modalidade e produzem grids maiores. Nas quatro etapas do Campeonato Brasileiro de Kart deste ano – Volta Redonda, Florianópolis, Parakart e Indoor, as últimas duas em São Paulo -, reunimos quase 600 pilotos”, concluiu Rubens Gatti.