Depois da Europa, Ásia e África do Sul, foi a vez dos brasileiros conhecerem, em grande estilo, a AreA1 (nos dias 8, 9 e 10 de maio), espaço criado pela Audi para receber os convidados Vips durante o lançamento do Audi A1. 

Para tornar o evento uma grande experiência, a AreA1 integra cinco diferentes ambientes alinhados aos conceitos do lançamento: inovação, tecnologia, conectividade e tendências de vanguarda.

O Audi A1 foi mostrado à imprensa e ao público no Salão do Automóvel 2010 no Anhembi, São Paulo.  Marco de esportividade e sofisticação na classe dos compactos, o Audi A1 esbanja charme e modernidade.

O A1 oferece motor turbo, câmbio automatizado de sete marchas e faróis de xenônio, itens indisponíveis no Mini mais barato, que tem motor 1.6 aspirado, transmissão manual de cinco marchas e faróis convencionais.

A característica maior do Audi A1 é o arco que começa na coluna dianteira e vai até a traseira, e que pode ter cor diferente da carroceria, para criar uma espécie de personalização.

Seu visual é típico de um Audi. Os faróis têm o conhecido contorno de “leds” dos demais carros da montadora. Apesar do tamanho, o A1 tem aspecto tão enfezado como seus irmãos maiores.

O visual mal-encarado aparece mesmo quando o carro é visto de traseira, porque as lanternas reproduzem o estilo nervoso da dianteira. De lado, a presença de portas apenas na dianteira também reforça o visual esportivo.

O ar-condicionado não é digital, a regulagem de banco é manual, a carroceria e a suspensão não empregam alumínio (material de uso comum na marca), mas não se esqueça de que estamos falando de um Audi na faixa de R$ 90 mil. Seu painel tem revestimento macio, como nos modelos mais caros. Os comandos de som estão no volante.

No centro do painel, um “display” mostra os comandos de som, ajustes do veículo, etc. Embora compacto, o motor 1.4 turbo de injeção direta gera 122 cavalos e tem torque de 20,4 kgfm a partir de 1.500 rpm. 

Desenvolvido em conjunto pela Audi e VW, esse motor tem injeção direta, comando duplo, 16 válvulas e “intercooler”. O pequeno Audi aproveita a plataforma do novo Polo europeu (PQ25), incluindo a suspensão.

Com o A1, a Audi pretende enfrentar o Mini, mas com uma proposta diferente. Enquanto o modelo inglês tem estilo retro, o alemão investiu no visual contemporâneo.

Além disso, a Audi optou pela agressividade comercial: por R$ 89.900 (praticamente o mesmo preço de entrada do Mini). Mas a última palavra ficará por conta do consumidor, que certamente optará pelo compacto “Premium” que mais lhe agradar ou que mais caiba no seu bolso.  (BN).