O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, classifica como "lamentável" o aumento da taxa básica de juros, a Selic. A elevação, divulgada ontem (19), após reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, ficou em 0,5 ponto percentual, e a taxa passou de 17,75% para 18,25%. Em nota, Monteiro Neto afirma que "seguramente isso vai afetar a atividade econômica imediatamente, o que é lamentável".

O presidente da CNI prevê uma desaceleração do nível de atividade econômica no primeiro trimestre do ano. "Agora já é possível dizer que vamos ter um crescimento menor em 2005 e até aquém das estimativas que apontavam crescimento em torno de 3,5% a 4%".

O documento também considera que, para evitar as pressões inflacionárias, "a política adequada seria a de estímulo ao investimento" e que os juros elevados provocam uma valorização artificial da moeda brasileira, "o que, se persistir, poderá comprometer o ajuste das contas comerciais externas".