O número de vôos atrasados aumentou nesta quinta-feira (21) nos aeroportos de São Paulo. Em Congonhas, às 10h15, eram 16 decolagens atrasadas e sete pousos fora do horário. As filas permaneciam longas nos guichês da Gol e da TAM. No Aeroporto Internacional, em Guarulhos, os atrasos tinham uma média de duas horas. As filas continuavam gigantes, irritando ainda mais os passageiros. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Administração Aeroportuária), os atrasos são de responsabilidade das empresas aéreas, pois não há problemas de tráfego aéreo.

No Rio, a situação não mudou. No Aeroporto Internacional Tom Jobim são 11 vôos domésticos com atrasos para decolagens. Um vôo da American Airlines com destino a Miami, que está desde às 23h50 de ontem atrasado, ainda não tem previsão para partida. Entre os vôos nacionais, o pior atraso é o do vôo da TAM para Fortaleza, que deveria ter partido ontem às 21h30 e só às 9h30 de hoje os passageiros foram chamados para a sala de embarque, mas sem previsão de partida.

Uma senhora grávida de cinco meses, acompanhada de seu filho pequeno, e que aguardava o vôo, reclamou que dormiu no aeroporto e somente às 6 horas de hoje funcionários da empresa ofereceram um hotel. Além das grandes filas que se formaram nos guichês das empresas, os passageiros também sofriam com as informações desencontradas dos funcionários das companhias aéreas.