O presidente da Câmara, deputado Severino Cavalcanti (PP-PE), voltou há pouco a criticar o presidente do Conselho de Ética da Casa, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), acusando-o de estar "fazendo discurso para a platéia" quando afirma que não há justificativa para que o presidente da Câmara fique segurando os pedidos de cassação dos deputados José Dirceu (PT-SP), ex-ministro da Casa Civil, e Sandro Mabel (GO), líder do PL na Câmara.

Desde ontem, Severino e Izar estão trocando farpas. Severino disse que Izar já havia afirmado que o Conselho de Ética não tinha condições de processar simultaneamente vários pedidos de cassação e culpou Izar de ter demorado dois dias para enviar à Mesa os pedidos contra Dirceu e Mabel, encaminhados ao Conselho de Ética pelo PTB.

Ontem mesmo, Izar divulgou nota em que estranhava a atitude de Severino e dizia que o presidente da Câmara poderia encaminhar os processos contra Dirceu e Mabel, que ele indicaria imediatamente os relatores para os processos. Há pouco, ao chegar à Câmara, Severino afirmou que nenhum processo ficará sem investigação, mas que quer atuar como juiz, sem perseguir ninguém. "Não estou aqui para perseguir ninguém", afirmou. "Atuarei como juiz da casa".