Rio (AE) – Carlos Eugênio Simon é o árbitro brasileiro escolhido para ir à Copa de 2006. Mas ele já começa a correr risco de perder a vaga. Primeiro, não foi aprovado nos exames físicos para apitar no Mundial Sub-17, em setembro, no Peru. E agora, acabou suspenso provisoriamente pela CBF por causa dos erros cometidos no empate entre Vasco e Figueirense, quarta-feira, no Rio, pelo Brasileirão.

Apesar de manter Simon como o árbitro brasileiro na Copa o novo presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Edson Rezende de Oliveira, revelou que já tem um substituto escolhido caso seja preciso trocar o gaúcho. É o pernambucano Wilson de Souza Mendonça.

"Pela experiência, o Wilson é o substituto. É um árbitro de primeiro nível e tem experiência", destacou Edson Rezende. "E prova disso é que a Fifa escalou dois brasileiros para apitar as Eliminatórias, o Márcio Rezende, que não terá idade para arbitrar no Mundial, e o Wilson."

Sobre a atuação de Simon na partida entre Vasco e Figueirense, Edson Rezende continuou defendendo o árbitro e seu auxiliar Altemir Hausmann – os dois foram apenas "preservados" pela Comissão de Arbitragem, segundo ele. O presidente destacou que o gol legítimo de Romário, que foi invalidado, ou o gol irregular do Figueirense, que foi validado, são erros compreensíveis.

"São lances subjetivos, interpretativos, que o árbitro interpreta.

Estava comentando que quando eu apitava, às vezes, depois eu ia assistir ao tape do jogo e não acreditava nos lances que marcava ou que deixava de marcar", contou Edson Rezende. "Às vezes, quando assiste e analisa o jogo pela televisão é outra coisa. E, dentro do campo, às vezes, em razão da posição, de pessoas que estão na frente, a interpretação pode ser diferente."