São Paulo, 23 (AE) – O Palmeiras venceu o líder Atlético-PR por 3 a 1, neste sábado, no Estádio Palestra Itália, chegou aos 62 pontos e entrou firme na briga por uma vaga na Libertadores, reservada aos quatro primeiros colocados do Brasileiro. E, se o São Paulo vencer o Santos neste domingo, pode até sonhar com o título. Terça-feira, enfrenta o Botafogo, de novo em casa.

A vitória sobre um time que estava invicto há 18 jogos foi também a vitória de um estilo leve sobre outro, mais pesado. E, principalmente, a vitória de Pedrinho sobre Jádson. Os números que resumem esquemas táticos podem enganar. Neste jogo, por exemplo, havia uma grande diferença entre o 3-5-2 de cada um dos times. Ricardinho e Pedrinho, como os diminutivos indicam, são jogadores rápidos e dribladores. Os do Atlético, Washington e Denis Marques, ao contrário, são fortes e fazem da área adversária sua residência fixa durante os 90 minutos.

O estilo leve venceu. O Palmeiras começou com muita velocidade. Com um minuto, armou uma blitz, atacando pela direita e esquerda, mas sem acertar o gol. O Atlético foi se assentando em campo, marcando melhor e, depois disso, começou a se soltar. Aos 14 minutos, teve a primeira boa chance. William escapou pela direita e chutou forte. Sérgio defendeu.

Aos 23 minutos, o zagueiro Marcão, que já foi lateral, avançou pela esquerda, livrou-se facilmente de Marcinho e atrasou a bola. Denis Marques recebeu, driblou Nen e marcou. Gol de centroavante.

O Palmeiras reagiu com chutes de Baiano e Nen e conseguiu empatar aos 33 minutos. Após um lance bem disputado na área, Ricardinho chutou, de dentro da área. Gol, mas não de centroavante. Denis Marques perdeu a chance de desempate aos 36 minutos, em uma jogada parecida com a do primeiro gol. Desta vez o passe veio da direita, com William. Denis mandou a bola para muito longe.

Pedrinho participou de três jogadas perigosas ainda no primeiro tempo. Aos 41 minutos, escapou de Alan Bahia e chutou para fora. Aos 43, roubou de Marinho e errou o chute. Aos 45, não chutou. Deu um lindo passe que Lúcio transformou em golaço, no ângulo direito de Diego.

O intervalo fez bem a Pedrinho, que voltou ainda mais animado. Jogava principalmente pela direita, onde levou cartão amarelo por simular um pênalti, e pelo meio, onde buscava a bola e partia para o ataque.

Com ele, o Palmeiras sempre tinha opção de gol, enquanto Jádson não conseguia fazer a bola chegar até Washington, artilheiro do campeonato com 25 gols. Levir fez de tudo para mudar, mas não conseguiu ameaçar a vitória do Palmeiras.

Vitória que se concretizou com uma bela jogada, aos 37 minutos. Pedrinho lançou Lúcio na esquerda e recebeu na área. Dividiu com Diego e marcou. Como centroavante que não é. Até isso ele foi neste jogo.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 X 1 VITÓRIA

Palmeiras: Sérgio, Gabriel, Daniel e Nen; Baiano, Marcinho, Magrão, Diego Souza (Corrêa) e Lúcio (André Rocha); Pedrinho e Ricardinho (Thiago Gentil). Técnico: Estevam Soares

Atlético-PR: Diego, Marinho, Fabiano (Pingo) e Marcão; William, Alan Bahia (Raulen), Fernandinho, Jadson e Ronildo (Igor); Denis Marques e Washington. Técnico: Levir Culpi.

Gols: Denis Marques, 23 min; Ricardinho, 32 min, e Lúcio, aos 45 min do 1º tempo; Pedrinho, 37 min do 2º tempo

Cartões amarelos: Daniel, Diego, Alan Bahia, Pedrinho, Marcinho, Ronildo, Pingo, Corrêa e Jadson

Juiz: Lourival Dias Lima Filho (BA)

Público: 18.755 pagantes

Renda: R$ 258.426,00

Local: Palestra Itália, São Paulo (SP)