Chuniti Kawamura / GPP
Chuniti Kawamura / GPP

Depois de três dias de greve dos servidores do instituto, a expectativa é de que o movimento acabe hoje.

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Valdir Moysés Simão, disse que as agências da Previdência Social deverão funcionar normalmente amanhã (2) em todo o país, depois de três dias de greve dos servidores do instituto. "A expectativa é de que o movimento acabe hoje, ele já está diminuindo em várias cidades e que amanhã a gente retome o atendimento normal em todas as agências da Previdência", disse.

De acordo com Simão, a orientação do ministro da Previdência Social, Nelson Machado, é de que haja corte do ponto para os funcionários que aderiram à greve. Na terça-feira (30 de maio), os servidores do INSS decidiram paralisar as atividades durante três dias, sob alegação de que o governo federal não está cumprindo o acordo assumido no ano passado depois de uma mobilização de 72 dias.

Segundo o presidente do instituto, o acordo está sendo cumprido. Valdir Moysés Simão disse que, pelos cálculos do INSS, cerca de 10 mil servidores, de um total de 30 mil, paralisaram as atividades. "Aproximadamente um terço dos servidores aderiu, o que não prejudicou o atendimento na maioria das agências, porque elas conseguiram se organizar. Por exemplo, a perícia médica, que é crítica, foi atendida em todas as agências da Previdência para aquelas perícias agendadas".

Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo foram as capitais onde a adesão à greve foi maior, de acordo com o presidente do INSS. Segundo ele, o servidor que não for trabalhar amanhã será considerado faltoso.