Os ataques associados ao PCC iniciados na madrugada deste domingo (6) em São Paulo colocaram em alerta os agentes penitenciários do Estado. Segundo o diretor de saúde da Sinfuspesp, (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de S. Paulo) Luiz da Silva Filho, há orientações para que os agentes penitenciários não freqüentem lugares públicos. "Lugares como bares e boates devem ser evitados", afirma.

De acordo com ele, durante a onda mais recente de violência foram feitas ameaças e agressões à agentes. "Agressões às famílias dos profissionais, fogo ateado em casas, entre outras ocorrências". Desde o início dos ataques, em maio, até esta segunda-feira (7) de agosto, foram registradas 18 mortes de agentes penitenciários.