Primeiro astronauta brasileiro da história, o major-aviador Marcos César Pontes quer aproveitar a folga no treinamento que faz desde 98 na Nasa para ministrar palestras na Amazônia. Ontem, em Brasília, ele visitou o gabinete da deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e se dispôs a participar de encontros no meio acadêmico e científico de Manaus. “Acho importante incluir a região Norte no roteiro de divulgação do programa espacial brasileiro”, disse Pontes. 

A deputada Vanessa, membro da Comissão Especial que investiga o acidente com o foguete lançador na base de Alcântara (MA), expediu ofícios à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e ao Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa) para verificar a possibilidade de montar programação de palestras com o astronauta. “Acredito que possa ser no mês de maio, mas isso dependerá das agendas das instituições e do major”, disse a parlamentar.

Marcos Pontes tem sua primeira viagem ao espaço marcada para 2005. Seu treinamento na Nasa faz parte de um acordo que o Brasil assinou com os Estados Unidos para a utilização da Estação Espacial Internacional. Os dois países estão em negociação para renovar o acordo em junho deste ano. 

O astronauta brasileiro diz que os meios acadêmico e científico precisam saber dos benefícios que o programa espacial pode trazer ao Brasil. “Utilizando os recursos que a estação possui as universidades podem realizar vários cursos. São inúmeras as áreas. Na região amazônica acho possível, por exemplo, o desenvolvimento de produtos no setor farmacêutico. Também desenvolvemos circuitos e muitas técnicas de diferentes produção de equipamentos. Vale lembrar que a estação espacial é um laboratório com característica importante de operar em microgravidade, ou seja, praticamente na ausência de gravidade”, explicou Pontes.