A partir desta quarta-feira (18), os Armazéns da Família de Curitiba usarão apenas sacolas de plástico biodegradável, que se decompõem mais rápido e não prejudicam o meio ambiente. As sacolas biodegradáveis substituirão as de plástico convencional, que demoram mais de 100 para se decompor. O plástico biodegradável desaparece em menos de dois anos.

Por mês são usados nos Armazéns da Família cerca de 2 milhões de sacolas. "A Prefeitura está buscando soluções que contribuam com o meio ambiente, conciliando desenvolvimento com preservação", diz o secretário municipal do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Lançadas na natureza, as sacolas de plástico convencional podem entupir bueiros, provocando alagamentos. Nos rios, os animais confundem as sacolas com alimentos, que se ingeridas podem causar a morte de peixes, aves e outros bichos que têm nos ambientes úmidos a principal fonte de sobrevivência.

O consumidor não notará a diferença entre a sacola convencional e a biodegradável. A tecnologia usada na fabricação das biodegradáveis apenas adiciona componentes que podem ser destruídos posteriormente por agentes biológicos, como as bactérias. A degradação deste tipo de plástico é acelerada pela ação do calor. Por isso, levam aproximadamente um ano e oito meses para desaparecer.

Os Armazéns da Família fazem mais de 100 mil atendimentos por mês. Nas 23 lojas são vendidos 151 tipos de produtos de alimentação, higiene e limpeza com preços, em média, 30% menor que no mercado convencional. Os Armazéns, instalados em regiões estratégicas da cidade, atendem famílias com renda de até três salários mínimos.