Os aposentados que receberam o informe de rendimentos errado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) terão de correr para apresentar a declaração retificadora do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), se quiserem ser incluídos no primeiro lote de restituição. A Receita Federal avisou hoje (2) que só vai manter a prioridade na fila de restituições para esse grupo de beneficiários do INSS se a declaração retificadora for enviada até o dia 15. "Para quem entregar até o dia 15, vamos preservar o lugar na fila", informou o supervisor nacional do Imposto de Renda da Receita Federal, Joaquim Adir.

Foram vítimas do erro aproximadamente 1,3 milhão de segurados. O INSS não aplicou o redutor mensal de R$ 100 ao descontar o IR na fonte dos aposentados e pensionistas. O bônus foi concedido no ano passado pelo governo. A correção do erro pode aumentar o valor da restituição ou diminuir o imposto a pagar.

O supervisor disse que vários contribuintes que estão nesse grupo de beneficiários do INSS, e que entregaram a declaração no início do prazo, procuraram a Receita preocupados com o risco de perderem a vantagem na fila das restituições. É que nem todos têm mais de 60 anos e, por isso, com prioridade garantida na fila de acordo com o Estatuto do Idoso. O primeiro lote de restituição será pago no dia 15 de junho. Os idosos e aqueles que enviaram a declaração na primeira semana do prazo de entrega terão prioridade.