O posto da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, ficou aberto durante toda a noite de ontem. Das 18hs de sexta-feira até agora pela manhã, foram registradas mais de 140 reclamações por causa de cancelamento e atrasos nos vôos. Em dias normais, a média é de 20 reclamações.

Pelas normas, ao cancelarem os vôos, as empresas são autuadas pela Anac e têm 20 dias para recorrer. As autuações estão sendo feitas, mas, nesse caso, a tendência é que elas aleguem que não têm responsabilidade pelos atrasos. De qualquer forma, elas são obrigadas a acomodar os passageiros cujos vôos foram cancelados em outros vôos. Se a espera for superior a quatro horas, devem fornecer alimentação. No caso de atrasos ainda maiores, devem garantir hospedagem aos passageiros.

No guichê da Infraero, a orientação dada aos passageiros que tiveram vôos cancelados é que procurem as companhias para efetuar as remarcações. Até há pouco, os painéis de informações sobre partidas de vôos do Aeroporto JK mostravam vôos cancelados da Gol com destino a Salvador, Curitiba e Rio de Janeiro. Também indicavam o cancelamento de um vôo da TAM para São Paulo.

Todos os guichês estão lotados. Em sei site, a Gol orienta seus passageiros que "não compareçam aos aeroportos" e que entrem em contato com a companhia pela Central de Relacionamento com o Cliente para remarcações, que serão feitas "sem cobrança de taxas e diferenças tarifárias".