Seis pessoas são reféns dos presos amotinados no Centro de Detenção Provisória de Mauá, na Grande São Paulo, desde as 11h45. De acordo com a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, as negociações estão sendo feitas pelo diretor da unidade, Wellington Rodrigo Segura. Até as 15 horas não havia informações sobre feridos.