A Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib) considera "preocupante a escalada da taxa Selic". Na noite de ontem, o Copom elevou em 0,50 pp a taxa básica, para 18,25% ao ano. Em nota, o presidente da entidade, Paulo Godoy, disse que "os efeitos são conhecidos: mais freio no consumo e na tomada de crédito que impulsionam empresas de bens e serviços em geral".

Segundo a entidade, as diversas medidas para combate à inflação, já sugeridas exaustivamente pe as muitas entidades representativas do setor produtivo, "são cabíveis e possíveis, mas têm sido ignoradas com veemência, sem justificativa". "As autoridades monetárias precisam ter um plano de médio prazo, com medidas alternativas, para controlar indícios inflacionários, sem que isso cause tanta insatisfação e indecisão junto aos consumidores e às empresas em geral", disse o presidente da Abdib.