A alta dos preços das hortaliças foi o dado mais surpreendente do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em janeiro, na avaliação do pesquisador Juarez Rizzieri. De acordo com ele, os produtos in natura, em especial as hortaliças, representaram 42% da alta do IPC do mês passado, de 0,66%, ao mostrar contribuição de 0,28 ponto porcentual. Mesmo assim, a inflação da capital paulista apresentou variação muito próxima da projeção mais recente de Rizzieri, de elevação de 0,70%.

A alta dos preços das hortaliças contribuiu em muito para que o grupo Alimentação apresentasse variação de 1,29% em janeiro, ante taxa negativa de 0,21% vista em igual mês do ano passado. Para se ter uma idéia da evolução dos preços dos produtos in natura, pode-se ter como ponto de partida a deflação de 1,37%, verificada no fechamento de dezembro. A partir de 2007, no entanto, o subgrupo apresentou não apenas taxas positivas, mas crescentes, exibindo alta de 0,17% na primeira quadrissemana do mês, subindo para 2,27% na segunda, avançando para 5,53% na terceira, até atingir alta de 7,30% no fechamento do mês passado. "O aumentos de preços das hortaliças nesta época do ano é comum, mas não tanto quanto em 2007, porque este ano choveu bastante em janeiro", comentou Rizzieri.

Vale destacar que mais de metade dos itens da Fipe que mais contribuíram para a elevação do IPC em janeiro pertencem ao grupo Alimentação – de 30 produtos, 16 são alimentícios. As maiores contribuições de alta vieram da alface (25,59%) e do tomate (22,67%), cada um com representatividade de 0,05 ponto porcentual. Também merece destaque a laranja, que subiu 13,02% em janeiro contribuindo para o IPC com alta de 0,04 ponto porcentual.

Refeição fora do domicílio ficou 1,07% mais cara no mês passado, representando um impacto de 0,02 pp no IPC. Os seguintes itens tiveram contribuições individuais de 0,01 pp: café em pó (2,88%) salsa/cebolinha (23,90%), lingüiça (3,31%), ovos (3,22%), vagem (33,87%), abobrinha (29,33%), repolho (18,03%), chuchu (22,14%), óleo de soja (2,47%), cenoura (10,09%), pepino (25,55%) e couve (14,70%).