O candidato da aliança PSDB-PFL à presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de estar promovendo "uma grande farra cambial e fiscal"com objetivos "meramente eleitoreiros". Alckmin fez o comentário hoje, em conversa com diretores das sucursais de seis grandes jornais, durante café da manhã no apartamento do candidato a vice-presidente na sua chapa, senador José Jorge (PFL-PE). O ex-governador paulista advertiu que "quando o atual cenário externo benigno mudar, e os sinais de que isso pode acontecer estão aí, o Brasil vai ter mais problemas que os outros países".

Segundo Alckmin, Lula "agiu de modo irresponsável" porque adotou uma política econômica deliberada de juros muito altos para valorizar o real perante o dólar. Ele admite que o câmbio valorizado aumentou também o poder de compra das camadas mais pobres da sociedade, mas ao custo de transferir renda do setor produtivo, especialmente do agronegócio, para o consumo popular. "Com isso, perdemos a oportunidade de lançarmos o País num verdadeiro ciclo sustentado de desenvolvimento", disse ele.