O governador Roberto Requião anunciou que vai mandar cortar o fornecimento de água e luz de toda edificação construída irregularmente na Ilha do Mel. A solicitação para que o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) tome as providências cabíveis foi feita por Requião na reunião da Operação Mãos Limpas desta segunda-feira.

Num prazo de 20 dias, o IAP, em conjunto com a Polícia Florestal, vai proceder a uma reavaliação da atual situação das construções irregulares na Ilha. Segundo o presidente do Instituto, Rasca Rodrigues, 58 construções desrespeitaram o embargo nos últimos 10 anos. “A partir da atualização desses dados vamos remeter as irregularidades constatadas ao Ministério Público Estadual e Federal”, afirmou.

Também será providenciada, por solicitação do governador, uma reunião entre o IAP, Polícia Florestal, Ministério Público Estadual, e autoridades judiciais de Paranaguá, para que se unifique a ação de preservação da ilha. Rasca ressaltou que a Ilha do Mel é hoje ocupada por 57% de moradores turistas, ou seja, a população ocupante já ultrapassou a de nativos. Segundo ele, “esse quadro é muito preocupante em relação à sustentabilidade ambiental e social daquela área de conservação e preservação natural”.

Força Verde

O secretário estadual do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, também participou da reunião do Mãos Limpas e fez um relato sobre os cursos de capacitação dos 640 policiais florestais e dos 300 fiscais do IAP que integrarão a Força Verde no Estado. Os cursos, com aulas práticas e teóricas, estão sendo elaborados com a participação da Universidade Federal do Paraná e órgãos não governamentais, segundo Cheida. A Força Verde vai colocar policiais especializados em meio ambiente morando dentro das áreas das unidades de conservação e atuando de forma integrada com o IAP.