Jonathan Rayner James, advogado dos autores de O Santo Graal e o Cálice Sagrado, Michael Baigent e Richard Leigh, que lutam na Justiça contra Dan Brown, criticou o discurso de Brown e disse achar errado o fato da mulher do acusado não ter prestado depoimento ainda. Michael Baigent e Richard Leigh acusam Brown de ter plagiado seu livro no best-seller O Código Da Vinci.

Os autores de O Santo Graal e o Cálice Sagrado estão processando a própria editora, a Random House, que é a mesma de O Código Da Vinci. Nas duas obras, é apresentada a hipótese de que Jesus se casou com Maria Madalena e teve com ela um filho. Segundo a tese a descendência da criança continua até hoje e está protegida por uma ordem secreta conhecida como Priorado de Sião.

Brown declarou que talvez tenha tido a mesma idéia devido ao material de investigação a que teve acesso. Jonathan Rayner James alertou: "A evidência do caso deve ser analisada com suspeita profunda". Disse ainda que o depoimento de Blythe Brown seria de importância fundamental para o caso, já que foi ela que forneceu a Dan Brown grande parte de seu material investigativo. "Dan Brown sabe pouco do que ela fez", afirmou Rayner James.

Brown reconheceu que ele e sua esposa leram O Santo Graal e o Cálice Sagrado, bem como outras 38 obras e centenas de documentos sobre o mesmo assunto.