O advogado do empresário Luiz Antônio Vedoin, Otto Medeiros, solicitou nesta terça-feira (7) ao presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), que o depoimento de seu cliente seja fechado à imprensa. O advogado quer que apenas os deputados e assessores participem da audiência.

Segundo Izar, o plenário do conselho decidirá sobre a solicitação por meio de voto.

Vedoin, que já está na Câmara, falará como testemunha nos processos dos 67 deputados acusados de envolvimento no esquema de fraudes na saúde, conhecido como "máfia das sanguessugas".

Renúncias

Segundo Izar, os deputados Josias Quintal (PSB-RJ) e Almir Sá (PL-RR) pediram para sair do conselho. Os dois não foram reeleitos no pleito de outubro. Já o deputado Mauro Benevides (PMDB-CE) considerou-se impedido de ser o relator do processo contra o deputado Wellington Fagundes (PL-MT), por ter ligações políticas com o parlamentar.