O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) afirmou hoje à tarde, em São Paulo, que a coligação do PFL com o PSDB para a Presidência da Republica já um fato, e que ela deve se concretizar oficialmente no "mínimo de tempo, porque ela já está, na realidade, solidificada". Segundo o senador, não existem dúvidas dentro do partido sobre qual caminho seguir. "É evidente que nós vamos com o PSDB e com Alckmin. Temos uma aliança com os mesmos propósitos, sobretudo agora, mais do que nunca, de moralizar a política brasileira", disse o senador, antes de participar do encerramento de um seminário sobre educação, promovido pelo partido na capital paulista.

De acordo com ACM, a posição do partido seria a mesma caso o candidato escolhido pelo PSDB para disputar a presidência fosse o prefeito de São Paulo, José Serra. "Uns ficam mais felizes com Alckmin, outros ficariam mais com Serra, mas todos ficariam na mesma posição: apoio ao PSDB". Para o senador, faltam apenas alguns ajustes de ordem regional para que a coligação seja posta em prática. "Como Alckmin é um homem extremamente generoso e, ao mesmo tempo, sabe fazer as coisas, ele vai trabalhar com Bornhausen para resolver todos os problemas que surgirem", finalizou. No domingo, Alckmin almoçou no Palácio dos Bandeirantes com Jorge Bornhausen, presidente nacional do PFL.