O delegado Roberto Cardoso, da Delegacia de Nova Iguaçu, acredita que a ação de
PMs que hoje de madrugada passaram atirando pela casa de shows Rio-Sampa, em
Nova Iguaçu, pode ser uma represália à investigação sobre a chacina da Baixada
Fluminense, ocorrida no dia 31 de março e que tem policiais militares como
suspeitos. Ele afirmou que a polícia ainda não sabe qual foi a motivação dos
disparos, que acertaram um veículo onde estava um casal, que não ficou ferido.
Os tiros foram feitos com pistolas calibre ponto 40 (o mesmo usado na chacina) e
fuzis 223.

Ontem à tarde, morreu Kenia Modesto Dias, de 27 anos, vítima
da chacina que estava internada no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu. Foi a 31ª
pessoa a morrer em conseqüência do massacre, pelo qual 12 policiais militares já
estão presos.