O candidato tucano à presidência da República, Geraldo Alckmin, disse acreditar que os ataques do PCC em São Paulo podem ter motivação eleitoral. "Que é estranho, é estranho", disse o ex-governador, para quem "é uma coincidência" que os ataques estejam ocorrendo em época de campanha eleitoral. "Estou perguntando: o que o ladrão ganha dando tiro na polícia, queimando ônibus? Precisam ser investigadas as causas por trás disso", enfatizou.

Alckmin disse também que o governo de São Paulo tem aceitado ajuda do governo federal, mas essa ajuda não está chegando. Exemplo disso, segundo ele, é que os R$ 100 milhões prometidos pelo governo para o sistema prisional paulista na última onda de ataques, em julho, ainda não foram entregues à administração estadual.

O candidato do PSDB prometeu que, caso seja presidente, não vai se omitir em relação ao tema da violência. "Essa é uma questão no Brasil. Nas grandes cidades, há problemas de segurança pública. Vou fazer esforços na legislação, na política e liberar recursos com fundo de segurança e penitenciário", disse.