Desde a sua criação, em 1994, o Banco Central já retirou de circulação 470 mil moedas falsas de R$ 1,00. Esse derrame de dinheiro falso fez com o BC resolvesse modificar o material empregado na confecção das moedas, e retirar do mercado, as que foram cunhadas em aço inoxidável. O prazo para a troca, em todas as agência bancárias, vai até segunda-feira, dia 22 de março.

Quatro anos depois da criação da moedas de aço inoxidável, o BC produziu novas moedas de R$ 1,00 fabricadas com alpaca e uma mistura de cobre e níquel. Mas, as falsificações continuaram, e o novo modelo ganhou agora uma circunferência de cobre. Esse modelo bimetálico, segundo afirma o gerente técnico do Meio Circulante do Banco Central do Paraná, Hélio Miguel Silveira, é mais leve, mais barato para confeccionar e difícil de falsificar. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)