O inverno do Rio de Janeiro não tem Campos do Jordão, mas tem Petrópolis, charmosa cidade serrana a 68 quilômetros capital, onde as temperaturas, nas noites mais frias, giram em torno de zero grau. E onde a estação também é pretexto para um festival com música, balé e teatro, com atrações nacionais e internacionais, sendo o carro-chefe a música erudita.

“De diferente temos a verba (ela prefere não revelar quanto), que é irrisória se comparada a Campos de Jordão. Infelizmente, o Rio não é São Paulo e os recursos nos obrigam a ter muita imaginação e criatividade”, diz Myrian Dauelsberg, diretora da Dell’Arte Soluções Culturais, produtora que organiza o festival há dez anos.

Tudo começou com uma reunião entre amigos, em Friburgo, cidade vizinha. Logo de cara, o evento conseguiu reunir nomes como Nelson Freire, Edu Lobo e Egberto Gismonti. Esta edição, a gala de abertura, hoje, às 20 horas, na bela Catedral São Pedro Alcântara, será com “As Quatro Estações”, de Vivaldi, com a Camerata Dell’Arte.

A programação se estende a outros marcos de Petrópolis, como o Museu Imperial, onde os concertos são à luz de velas, o Theatro Dom Pedro, o Palácio de Cristal e o Hotel Solar do Império, e também ao distrito de Itaipava.

São 15 dias de festival, e mais de 40 atrações confirmadas, “para todos os gostos e faixas etárias”. Mais de 40 mil pessoas são esperadas. Entre as atrações que vêm de fora está a cantora de tango uruguaia Malena Muyala, que se apresenta no dia 9, e o premiado Dmitry Smirnov, de 16 anos, saudado como “o novo prodígio do violino russo”, que toca no dia seguinte.

O festival visa à formação de plateia e inclui uma pequena explicação antes dos concertos, que os contextualiza. As apresentações são de graça ou custam bem menos do que o habitual. A entrada mais cara, R$ 40, é para a peça de teatro “Caderno de Memórias”, com Dira Paes, o show dos Titãs e da Blitz, e o espetáculo de dança Um Em Quatro, com a bailarina Ana Botafogo, todos na semana que vem. A programação do 10º Festival de Inverno de Petrópolis está na página www.dellarte.com.br. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.