Na visita de quatro dias a cinco países da África, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende ampliar as relações comerciais do Brasil com a Nigéria, oferecer bolsas de estudo para curso universitário , promover o intercâmbio cultural com os africanos e acelerar as negociações para a transferência de tecnologia brasileira na produção de medicamentos anti-retrovirais. O presidente embarcará para a África no domingo, de Roma, na Itália, onde acompanhará o funeral do papa João Paulo II.

Na África, Lula visitará Camarões, Nigéria, Gana, Guiné-Bissau e Senegal. Essa será a quarta viagem do presidente à região, o que, na opinião do diretor do departamento de África do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Pedro Motta Pinto Coelho, mostra a prioridade que a África tem do ponto de vista da política externa do Brasil.

No período de 12 meses encerrados em janeiro último, o comércio total do Brasil com a África somou US$ 6,5 bilhões. Desse total, US$ 3 bilhões vieram de transações com a Nigéria, sendo que US$ 2,5 bilhões foram gastos pelo Brasil com importações de petróleo. "A aposta maior é de crescimento comercial com a Nigéria", disse o embaixador.

Na Nigéria, também devem ser assinados acordos para transferência de tecnologia agrícola. Esse intercâmbio é feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em algumas regiões, mas a idéia é "federalizar" as ações.