Antes de se conhecerem, Jack (Philip Seymour Hoffman) e Connie (Amy Ryan) são dois solitários moradores da cidade de Nova York. Nenhum deles busca algo impossível no parceiro. Ele só quer uma mulher que goste de música, tenha uma atitude positiva, não seja sombria e não procure por outros homens enquanto estiverem juntos. Ela quer um homem que fale a verdade, tenha emprego e senso de humor, além de ser paciente e atraente.

Os dois são apresentados pelo casal Clyde (John Ortiz) e Lucy (Daphne Rubin-Vega). Clyde é o melhor amigo de Jack e Lucy é a chefe de Connie. Ironicamente, enquanto o relacionamento do novo casal floresce, o outro vê seu casamento de anos desmoronar. Além de interpretar o papel principal em “Vejo Você no Próximo Verão”, que entra hoje em cartaz, o ator Philip Seymour Hoffman faz sua estreia na direção. Trata-se de uma história aparentemente simples, mas que não convence porque carece de profundidade e dramaticidade. O roteiro escrito por Robert Glaudini é baseado em peça de sua autoria. Hoffman interpretou o mesmo papel no teatro, off-Broadway, e teve seu desempenho elogiado pela crítica norte-americana.

Jack e Clyde são motoristas de limusines e quando não estão trabalhando, passam os dias conversando sobre coisas banais e ouvindo reggae. Fracassado, Jack aceitou a vida como ela é, até ser apresentado a Connie. A moça desperta nele uma vontade de se superar quando ela diz que gostaria de dar uma volta de barquinho num lago artificial, desses disponíveis para turistas em parques de Nova York. O problema é que ainda é inverno e, quando o verão chegar, Jack não poderá navegar com ela porque não sabe nadar. Ele, então, decide aprender a nadar. Numa outra conversa, ela diz que nunca ninguém cozinhou para ela. Jack resolve aprender a cozinhar e fazer um jantar. Tudo antes de o verão chegar. Além de ter apresentado Jack a Connie, Clyde também ensinará o amigo a nadar e emprestará sua cozinha para que ele treine as receitas para o almejado jantar. Neste ínterim, Clyde confessa a Jack que sua mulher o traiu duas vezes. É o início do fim.

Trata-se de um filme curto, com 1h20 de projeção. Tempo mais do que suficiente para contar essa história. O roteiro, no entanto, poderia ter sido mais bem desenvolvido para dar mais profundidade aos personagens e acentuar certos dramas essenciais para a compreensão da trama. Como, por exemplo, quando Connie é agredida no metrô e depois sente dificuldade em fazer amor com Jack. Poucas coisas são ditas sobre esse fato, que muda completamente a forma de Connie lidar com o sexo oposto. Além disso, não temos muitas informações sobre o personagem de Hoffman, que por vezes parece uma pessoa imatura e dependente do amigo.

Pode ser que alguns espectadores sejam atraídos pelo filme por achar que se trata de uma comédia romântica. Mas o longa está mais para uma história de amizade entre quatro pessoas, em que cada um faz o possível para agradar ao outro, mesmo que tudo ao redor esteja prestes a desabar. No fim, Vejo Você no Próximo Verão é uma história de amor e superação, estrelada e dirigida pelo talentoso Seymour Hoffman. As informações são do Jornal da Tarde.