Se Angélica pensou que ia se livrar da mania de roer as unhas, ainda não foi desta vez. Afinal, sua ansiedade para voltar a apresentar o Video Game, do Video Show, era tão grande que não resistiu ao "vício". Apesar de ter curtido os seus dois meses e meio de licença-maternidade, ela não agüentava mais a saudade da equipe e da rotina de gravação. Nas gravações do programa de reestréia, que vai ao ar no próximo dia 30, Angélica quase se debulhou em lágrimas na frente de seus convidados, a atriz Deborah Secco e o ator Thiago Lacerda, a Sol e o Alex de América. "Fiquei feliz por estar de volta ao meu ‘segundo filho’. Mas sei que minha ausência foi por uma causa nobre", pondera.

Angélica ficou mais entusiasmada ainda quando recebeu a notícia de que poderia levar o pequeno Joaquim para o trabalho. Entre um intervalo e outro das gravações, ela sempre dá uma espiadela no herdeiro. Embora pareça difícil desempenhar esses dois papéis ao mesmo tempo, a apresentadora garante que isso não prejudica na qualidade do seu trabalho. Pelo contrário. Desse jeito, ela jura que se concentra muito mais nas suas tarefas profissionais. "Como meu filho está por perto, não fico preocupada. É um privilégio poder conciliar minhas duas paixões", derrama-se.

Mas Angélica não está com os pensamentos voltados somente para a maternidade. A apresentadora pretende retomar ainda neste mês o projeto do seu novo programa, que foi adiado por conta da gravidez. Desde o ano passado, ela se reúne freqüentemente com o diretor Boninho para acertar os detalhes da produção, ainda sem nome definido, mas com estréia prevista para setembro ou outubro. O programa vai ser ao vivo, ter uma hora de duração no sábado ou domingo à tarde, dirigir-se aos jovens, combinar música, entrevistas, "games", interatividade, esportes e reportagens feitas em várias partes do país. "Vai ser uma responsabilidade muito grande e uma adrenalina muito gostosa. Imagina, entrar ao vivo todo final de semana? Essa é a vida que pedi a Deus", assegura.

Aliás, Angélica não se importa nem um pouco em abrir mão de seu hobbie predileto: viajar nos finais de semana. Sua energia está voltada literalmente para seu novo produto. Tanto que fala com empolgação que vai aproveitar, principalmente, o caráter factual do programa. "Vou aproveitar o fato dele ser ao vivo para ter muita atualidade. Funcionará como uma agenda do que aconteceu e do que está por vir", planeja.

Aos 31 anos, Angélica garante que se sente realizada profissionalmente. A apresentadora acredita que conquistou seu espaço na Globo aos poucos. Mesmo quando ficou fora do ar por quase dois anos, ela jura que não ficou insegura. Atualmente, seu maior objetivo é buscar o reconhecimento do telespectador como apresentadora de verdade. "Estou na melhor fase da minha vida. Por isso, quero que o público enxergue uma outra Angélica. Sei que posso e procuro fazer bem, mas tenho consciência de que a credibilidade é adquirida com o tempo", avalia.