Divulgação
Dominguinhos dividiu o palco com sua filha Liv Moraes, na música Casa tudo azul. O pernambucano se apresentou em um palco decorado em homenagem à fé do povo Nordestino.

O Rio de Janeiro parou para a 6.ª edição do Prêmio Tim de Música, considerado por muitos artistas como uma das principais premiações do gênero e que consagrou de vez o cantor e compositor Paulinho da Viola, o grande vencedor da noite.

O evento aconteceu na quarta-feira passada, no luxuoso Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e homenageou o sanfoneiro pernambucano Dominguinhos, que foi aplaudido de pé pelo público presente na cerimonia.

Os atores Marieta Severo e Marcos Palmeira tiveram a missão de apresentar o show e anunciar os 35 vencedores do prêmio, nas categorias MPB, música erudita, pop-rock, samba, canção popular, eletrônica, regional, língua estrangeira e projeto especial. Além dessas categorias, o Prêmio Tim lançou mão de uma nova categoria, a full track, que premia o artista com o maior número de downloads em telefones celulares.

O evento intercala show musical com entrega dos prêmios. Por ser o artista homenageado, Dominguinhos, sempre acompanhado de sua sanfona, teve o palco à sua disposição para tocar sozinho e dividir o espaço com outros artistas.

O cenário da apresentação fazia um resgate à cultura nordestina. Dominguinhos se apresentava com um palco com xilogravuras, fitas e, principalmente, imagens religiosas, como uma forma de fazer uma homenagem à forte fé do povo do Nordeste e, mais especificamente, Pernambuco.

Mandando ver no forró, Dominguinhos iniciou a apresentação com dois números solos (Forró no escuro e Sete meninas) e dividiu o show com sua filha Liv Moraes, em Casa tudo azul.

Depois ele recebeu Vanessa da Mata para a leitura de Lamento sertanejo e Elba Ramalho, que cantou De volta pro meu aconchego, um dos seus maiores hits. O ministro da Cultura Gilberto Gil também esteve presente e pôs o Municipal abaixo para cantar Eu só quero um xodó. Zezé di Camargo, que estava munido de uma sanfona, e Luciano cantaram juntos Tenho sede.

Ivete Sangalo, ovacionada pelos presentes, emprestou sua voz a uma das músicas mais famosas do sanfoneiro, Gostoso demais. O ápice do show foi em Contrato de separação, interpretada de forma comovente por Nana Caymmi.

Houve tempo ainda de reunir Genival Lacerda, Jorge Altinho e Flávio José para o medley Isso aqui ta bom demais, Pedras que cantam e Riacho do navio. A apresentação se encerou em um encontro de sanfoneiros, com Oswaldinho do Acordeon, Renato Borghtetti, Toninho Ferraguti, Gennaro Waldonys e Adelson Viana, que tocaram, Nilopolitano e Asa branca, considerado o ?hino? do sertanejo.

Prêmio

Além de Dominguinhos, outro artista teve motivos de sobra para comemorar. Paulinho da Viola, que concorria em sete categorias, foi o grande vencedor do Prêmio Tim de 2008. O CD Acústico MTV deu ao eterno ?velha-guarda da Portela? os prêmios de Melhor cantor de samba, Melhor disco de samba, Melhor canção (Vai dizer ao vento), categoria a qual ele concorreu sozinho e rendeu ainda o prêmio de Melhor arranjador para Cristóvão Bastos.

A segunda colocação teve empate entre cinco artistas. Emílio Santiago, Rodrigo Maranhão, Siba, Fafá de Belém e Ivete Sangalo levaram dois prêmios cada. Rodrigo Maranhão foi a surpresa ao levar a premiação de Melhor cantor regional e Revelação, categoria da qual concorria o grupo Orquestra à Base de Sopros, único artista paranaense selecionado ao prêmio.

O repórter viajou ao Rio de Janeiro a convite da TIM.