Foto: Arquivo

Tropa de Elite: estréia ontem.

Tropa de Elite virou The Elite Squad no 58.º Festival de Berlim, no qual o filme está concorrendo ao Urso de Ouro e que teve sua estréia ontem no evento. As tiradas genais que tornaram o Capitão Nascimento um dos personagens mais ?citados? da história do cinema brasileiro acabaram caindo numa geléia geral da narração que acompanhou o filme durante a sessão para a imprensa, que começou às 9 horas da manhã desta segunda-feira, e se seguiu a uma animada coletiva de imprensa da equipe do filme.

A imprensa não se empolgou. Mas tampouco vaiou o filme dirigido por José Padilha (que comparece ao festival acompanhado de Wagner Moura, Maria Ribeiro, o diretor de fotografia Lula Carvalho e o produtor Marcos Prado). Houve quem não entendesse muito bem os diálogos. Não só porque bordões como ?Pede para sair? e ?O Senhor é Moleque, seu 06? não têm a mínima graça e ironia em inglês, mas porque o filme foi exibido com legendas em alemão e narrado para a imprensa (que podia ?ouvir? na língua que escolhesse usando os tradicionais fones de tradução simultânea).

No fim, a coletiva de imprensa foi acalorada. Padilha praticamente falou pela equipe e afirmou que não tem idéia de como espera que o filme seja recebido.

?Não vai levar o Urso de Ouro, mas levanta uma bela discussão e tira a poeira de filmes um tanto mofados e nada vibrantes que vi durante esta semana?, confessou outro jornalista ao colega de bastidores.

Seja como for, a acolhida da imprensa em Berlim foi positiva. Padilha e equipe foram bombardeados com as questões sobre a realidade de filmar numa favela, a legalização do consumo de drogas, a violência da guerra do tráfico, o ponto de vista de um policial e, claro, a pirataria fenomenal que envolveu o lançamento no Brasil.