O mezanino do Memorial de Curitiba abriga, a partir das 9h de hoje, a exposição Tramas, que reúne instalações do artista plástico mineiro José Antonio. As obras, elaboradas com estruturas de ferro, tecidos e fios, criam verdadeiros cenários compartilhados com o público. Ao ter contato com as texturas, cores e densidades dos trabalhos, o visitante vivencia um espaço diferenciado, um mundo irreal que, além de ser percorrido pelo olhar, leva a experiências sensoriais.

A mostra é formada por três conjuntos de obras apresentados como uma grande instalação. No primeiro deles, as Tramas que dão título à exposição, estão trabalhos desenvolvidos a partir das catedrais espaciais, que o artista elabora desde 2002. As estruturas circulares das catedrais agora se transformam em formas que explodem em todas as direções, articulando-se umas com as outras para uma ocupação efetiva do espaço tridimensional.

Em outro conjunto, José Antonio experimenta nova forma de apropriação do espaço, criando poças de óleo queimado sobre a qual suspende estruturas igualmente de metal e tecido elástico, elas também embebidas de óleo. O terceiro conjunto consiste em uma série de objetos verticais que associam materiais orgânicos aos naturais e formam uma espécie de floresta. Todas as obras estão integradas ao espaço, numa proposta que permite ao visitante inserir-se na instalação.

?O que o artista nos propõe é um outro espaço a ser vivido, percorrido não só pelo olhar como pelo corpo que transita por entre elementos de crua matéria, transformados em fonte inesgotável de experiências sensoriais?, destaca o curitibano Fabrício Vaz Nunes, curador da exposição e responsável pelo texto do catálogo da mostra. Mestre em História da Arte e da Cultura pela Universidade Estadual de Campinas Unicamp (2004), Nunes é professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná e atua como crítico de arte desde 2002.

Serviço

Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 Setor Histórico). Exposição Tramas, com instalações do artista José Antonio. De 6 de maio (abertura às 9h) a 3 de junho de 2007. Horário de visitas: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 9h às 15h. Entrada franca.