O primeiro sábado do verão, no próximo dia 21, promete ser polêmico. É que está marcado um “Toplessaço” na Praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio. A manifestação – marcada para começar às 10h – tem sido divulgada no Facebook pela atriz e produtora de teatro Ana Rios (de biquíni preto) e pela estudante Bruna Oliveira, ambas de 23 anos. Resultado: em menos de 72 horas, foram mais de 2,8 mil nomes confirmados.

O protesto também já ganhou eco em todo o país. Ana conta que estão sendo preparadas manifestações similares em praças públicas nas cidades de Vitória, no Espírito Santo, e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

“Queremos um verão sem marcas de biquíni e, principalmente, sem as marcas da repressão. Recebi muitas mensagens de pessoas querendo aderir ao movimento”, conta a carioca.

Machismo

Com a proporção que a manifestação está tomando, a segurança é algo que já preocupa Ana, que confirmou ter recebido mais de mil de mensagem machistas e agressivas.

Segundo Ana, a ideia do movimento é propor “uma reflexão sobre onde foi parar o simbolismo do corpo da mulher no atual cenário da sociedade”. Ana acredita que a prática do topless é individual e não agride ninguém.

Sem preconceito

“Não é para ser caso de polícia. Há problemas muitos maiores. Só faz topless quem quer. Aqui no Brasil, há toda essa questão do culto ao corpo, mas os peitos de fora são vistos de forma criminalizada. Mostrar mais o corpo é o atual comportamento da mulher moderna”.