A polêmica gerada em torno do clipe da música Kong, do cantor Alexandre Pires, em virtude de uma suspeita de discriminação racial, deixou o cantor “profundamente chocado”.

No clipe, homens aparecem vestidos de gorilas que saem da selva e se misturam com mulheres de biquíni em uma festa. Além do próprio cantor, também participam do clipe o jogador Neymar e o funkeiro Mr. Catra. Os três aparecem cantando o refrão “é no pelo do macaco que o bicho vai pegar”.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Pires disse estar chocado a avaliação racista. “Sinto-me profundamente chocado com qualquer leitura racista ou sexista em um clipe protagonizado por mim, negro com orgulho da minha cor”, defendeu-se.

O cantor prestou depoimento na Procuradoria-Geral da República em Uberlândia, Minas Gerias. O caso segue sob investigação.